APLB

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Mais cestas básicas são entregues aos servidores demitidos pela prefeitura

 

Hoje, 7 de fevereiro, completa um mês que o prefeito Mário Alexandre publicou o decreto de demissão de quase 300 servidores admitidos legalmente entre 1983 e 1988, em ato injusto contra os servidores públicos. Para amenizar a situação, os sindicatos que representam a categoria distribuíram, na tarde de quarta-feira (06), mais um lote de cestas básicas aos servidores que se encontram mais vulneráveis.

A campanha de arrecadação de alimentos é coordenada pelo Sinsepi, APPI\APLB, Sindguarda e Sindiacs\ACE, diante da situação de necessidade a que foram relegados os servidores demitidos com mais de 33 anos de serviço público. Nos últimos dias, a ação de solidariedade ganhou a adesão da subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Ilhéus.

De acordo com a professora Enilda Mendonça, a campanha tem recebido o apoio da população e de empresários locais. Além de  lutar na Justiça pela reintegração dos servidores aos postos de trabalho, as entidades sindicais recolhem cestas básicas de alimentos para assistir a dezenas de servidores que estão em dificuldades para a sobrevivência.
O presidente da APPI/APLB, Osman Nogueira, salienta que os problemas enfrentados pelos servidores demitidos não se restringem apenas a alimentos, mas também a situações críticas de saúde, como depressão, crises de ansiedade, hipertensão, entre outras.  “O responsável é o prefeito Marão, por ter jogado os servidores nesse estado de miséria. Mas a luta continua em defesa da dignidade do trabalhador”, afirmou Nogueira.

A campanha conta postos fixos para recebimento dos alimentos, na sede da APPI\APLB, na Praça do Tamarineiro, no Malhado, e na sede do Sinsepi, na Rua Carneiro da Rocha, no Centro. Pode ser doado qualquer tipo de alimento, perecível ou não.



ATENÇÃO - Justiça acata liminar impetrada pela APLB

A Justiça acatou o pedido de liminar impetrado pela APLB/Sindicato e determinou que o governo da Bahia não pode exonerar os Gestores Escolares do período de 2016-2020 e também não pode exigir que deixem outros vínculos legais.

Mais informações no endereço: https://www.aplbsindicato.org.br