APLB

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Em pauta: atualização do piso e agendas com prefeitos (re)eleitos




Encerradas as eleições municipais, é chegada a hora de os sindicatos da educação cobrarem o compromisso dos/as prefeitos/as (re)eleitos/as nas 5.568 cidades brasileiras quanto à aplicação do piso salarial do magistério, vinculado aos planos de carreira, e às demais pautas da categoria, dentre elas, a que estabelece a profissionalização e a valorização da carreira dos funcionários da educação.
Também sobre o piso do magistério, está agendada, para essa semana, a entrega ao presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, da proposta de alteração do critério de atualização da Lei 11.738, defendida pela CNTE, Undime e Campanha Nacional pelo Direito à Educação. Recentemente, a referida proposta que se pauta na aplicação do INPC mais 50% do crescimento das receitas do Fundeb, e que ainda prevê a expansão da complementação da União ao piso para todos os estados e municípios que comprovarem incapacidade financeira com base em critérios definidos em lei, ganhou o apoio do governador do Mato Grosso do Sul, por meio de documento assinado pelo mesmo e registrado em cartório. André Puccinelli comprometeu-se também em manifestar seu desinteresse pela ADI 4.848, em trâmite no Supremo Tribunal Federal, o que poderá acelerar o processo de aprovação da matéria no Congresso Nacional.
Neste momento, a indefinição sobre o percentual de reajuste do piso, para 2013, não interessa aos trabalhadores, e as próprias prefeituras e governos estaduais devem preferir trabalhar com previsões concretas para seus orçamentos anuais. A queda na arrecadação tributária, em 2012, aliada à pressão de alguns governadores para tornar inconstitucional o artigo 5º da Lei 11.738, que trata da atualização do piso, tornam urgente a definição de um novo critério consensual para a correção do piso nacional no próximo ano.
A CNTE mantém-se mobilizada perante o Parlamento e os Executivos dos estados e municípios a fim de acelerar a votação do recurso que tranca a tramitação do PL 3.776/08, desde que seja respeitada a perspectiva de manutenção de ganho real aos vencimentos das carreiras do magistério. Para tanto, a meta 17 do PNE, cujo conteúdo dispõe sobre a equiparação da remuneração média do magistério à de outras categorias com mesmo nível de escolaridade, num prazo de 6 anos, assim como a meta 18, que prevê a instituição de carreira e remuneração condigna aos funcionários da educação, precisam nortear o debate no Congresso Nacional.
A semana promete ser decisiva para a definição do calendário de votação sobre o critério de reajuste do piso, e também para a tramitação do PNE, que deverá ter relator escolhido no Senado. A CNTE, por sua vez, espera que as pautas municipais e estaduais caminhem em sintonia com a agenda nacional, sobretudo em relação à composição dos orçamentos para garantir a aplicação integral do piso (vencimento e jornada extraclasse) em todo país.
Fonte: CNTE

SUSPENSA A PARALISAÇÃO DO DIA 01/11 DA REDE MUNICIPAL

A ASSEMBLEIA DA REDE MUNICIPAL, REALIZADA NESTA TERÇA FEIRA, 30/11, DELIBEROU PELA SUSPENSÃO DA PARALISAÇÃO DE QUINTA-FEIRA, 01/11, TENDO EM VISTA A CONCLUSÃO DO PAGAMENTO DO MÊS DE SETEMBRO.
NOVA ASSEMBLEIA DIA 09/11, FALTANDO CONFIRMAR LOCAL E HORÁRIO.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

RESULTADO DA ASSEMBLEIA

A ASSEMBLEIA DA REDE MUNICIPAL, REALIZADA NESTA SEXTA FEIRA, DELIBEROU POR UMA NOVA ASSEMBLEIA NO DIA 30/10, TERÇA- FEIRA, ÀS 14H. NO IME,  E PARALISAÇÃO NA QUINTA, DIA 01/11, CASO NÃO HAJA A CONCLUSÃO DO PAGAMENTO DE SETEMBRO.

domingo, 28 de outubro de 2012

PRESTAÇÃO DE CONTAS DA APPI APLB SINDICATO


A APPI APLB SINDICATO PRESTA CONTAS A SEUS FILIADOS. CLIQUE NAS IMAGENS ABAIXO PARA VISUALIZAÇÃO




Maio 2012


   junho 2012                                                  julho 2012                                               agosto 2012






sábado, 27 de outubro de 2012

RESULTADO DA ASSEMBLEIA

A ASSEMBLEIA DA REDE MUNICIPAL, REALIZADA NESTA SEXTA FEIRA, DELIBEROU POR UMA NOvA ASSEMBLEIA NO DIA 30/10, TERÇA- FEIRA, ÀS 14H.,  E PARALISAÇÃO NA QUINTA, DIA 01/11, CASO NÃO HAJA A CONCLUSÃO DO PAGAMENTO DE SETEMBRO.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

RESULTADO DA AUDIÊNCIA REALIZADA COM O GOVERNO DO ESTADO, NESTA QUARTA-FEIRA, DIA 24/10



Nesta quarta-feira (24 de outubro), a diretoria da APLB-Sindicato teve mais uma audiência com o governo, para tratar sobre questões administrativas relacionadas aos trabalhadores da Educação. No encontro de quatro horas com os secretários Osvaldo Barreto, da Educação, e Manoel Vitório, da Administração e técnicos das duas pastas, a diretoria da APLB foi acompanhada por um auditor fiscal, que prestou assessoria técnica à entidade.

Mais uma vez, a diretoria da APLB-Sindicato reafirmou que a proposta do governo foi rejeitada pela categoria, e que gostaríamos de saber se o governo tem uma nova proposta para que possamos convocar assembleia e avalia-la. Continuamos a discussão solicitando ao governo os sete itens a seguir:

1 – Relatório de gestão fiscal do 2º quadrimestre (será verificado RCL e DPL);

2 – Relalório de gestão fiscal aproximado (estimativa) para todo o ano de 2012 (quais as RCL e DPL estimados? Limite prudencial estimado?);

3 – A previsão atualizada de receita do FUNDEB/2012 é de 2,376 bi, quanto desse valor está sendo aplicado ao vencimento do professor?

4 – Quanto dos aumentos gerados pelo funcionalismo público em 2012 foi destinado exclusivamente para a Educação?

5 – Qual o aporte a ser feito pelo Estado para o FUNPREV EM 2012 E 2013?

6 – Qual o crescimento vegetativo da folha de pessoal (em percentual e em reais) para 2013?

7 – Folha de pagamento da educação (quando especial e quadro efetivo).

Os itens 1 e 2 foram fornecidos na hora, os demais o governo prometeu liberar até segunda-feira, em razão de a folha de pagamento estar sendo rodada.

Em seguida o governo relatou os seguintes encaminhamentos:

- Revogação da Portaria que proibia o gozo de licença-premio neste ano – Divulgada hoje no Diário Oficial, com a publicação de centenas de licenças premio que serão gozadas pelos professores;

- Acertou a realização de uma reunião com a SEC, na próxima semana, em data a ser agendada, para discussão do calendário letivo e férias coletivas;

- Reafirmou o acordo sobre os processos de aposentadoria, com alguns ajustes feitos durante o período da greve, e estabeleceu um cronograma de reuniões por assunto, a saber:

Dia 31/10 – 14 h, na SAEB – Abono de Permanência;

Dia 01/11 – 14h, na SAEB – Readaptados;

Dia06/11 – 9h, na SAEB – Proposta Salarial;

Dia 06/11 – 14h, na SAEB – Profuncionários;

Dia 12/11 – 9h, na SEC – Alteração da Carga Horária 20/40 horas.

Diretoria da APLB-Sindicato

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

ASSEMBLEIA DA REDE MUNICIPAL

CONFORME DELIBERADO NA ÚLTIMA ASSEMBLEIA, AMANHÃ. 26/10, SERÁ REALIZADA ASSEMBLEIA, ÀS 15:30, NO AUDITÓRIO DO IME.
PAUTA: ATRASO DO SALÁRIO DE SETEMBRO

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

SALÁRIO MÊS DE SETEMBRO REDE MUNICIPAL


SEGUNDO A TESOURARIA, AMANHÃ, 20/10, ESTARÁ DISPONÍVEL EM CONTA CORRENTE O SALÁRIO, FINALIZANDO A FOLHA DOS  EFETIVOS.

DELIBERAÇÃO DA ASSEMBLEIA DA REDE MUNICIPAL

OS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO DA REDE MUNICIPAL, DELIBERARAM EM ASSEMBLEIA, HOJE, 19/10, AGUARDAR ATÉ QUINTA FEIRA, O PAGAMENTO DOS 10% RESTANTE DA FOLHA DE PAGAMENTO.
NÃO SENDO REALIZADO O PAGAMENTO, OCORRERÁ UMA NOVA ASSEMBLEIA NA SEXTA- FEIRA.
 


 

RESULTADO DAS AUDIÊNCIAS REALIZADAS ENTRE GOVERNO DO ESTADO E APLB



Nesta quarta e quinta-feira (17 e 18 de outubro), a diretoria da APLB-Sindicato teve mais duas audiências com o governo, para tratar sobre a proposta econômica e questões administrativas relacionadas aos trabalhadores da Educação. No dia 17, o encontro foi com o secretario Osvaldo Barreto e técnicos da SEC, quando ficaram decididos os seguintes pontos:

• Licença-prêmio – o governo garantiu que irá revogar, até o final desta semana, a portaria que prejudicava as licenças-prêmios;
• Readaptação – o governo se comprometeu a alterar a Lei 6677/94 (Estatuto do Servidor) para que os readaptados em decorrência de doença ocupacional não percam mais nenhuma vantagem;
 PIS/PASEP – o governo vai publicar no site da SEC as informações sobre o que é PIS/PASEB, quem tem direito e quais os procedimentos necessários para ser incluído;
• Aposentadorias – o governo ficou de publicar o acordo feito com a APLB-Sindicato, que prevê o prazo de 6 meses para publicar o processo; avisar ao servidor que tiver dado entrada no processo e a aposentadoria não sair, poderá esperar a sobre as pendências no seu processo; e enviar para a APLB a relação das aposentadorias com problemas;
• Calendário Escolar – Será marcada uma reunião específica com a SEC para tratar da questão, bem como das férias coletivas;
• Concurso público e PROFUNCIONÁRIO – o governo se comprometeu em pagar a gratificação (15%) para os servidores formados pelo PROFUNCIONÁRIO, via Projeto de Lei que será enviado à Assembleia Legislativa; bem como implementar ações de incentivo para que os servidores façam o PROFUNCIONÁRIO;
 Alteração da carga horária de 20 para 40 h – o governo se comprometeu em reativar a comissão, formada por representantes da APLB e SEC, para fazer o levantamento das dados e estabelecer as prioridades;
• Liberação de Mestrado/Doutorado – o governo se comprometeu em cumprir o acordo feito com a APLB de liberar o afastamento para aperfeiçoamento profissional, através de cursos de Mestrado e Doutorado.
Na audiência realizada nesta quinta-feira, 18 de outubro, com o secretário Manoel Vitório, da SAEB, a diretoria da APLB-Sindicato reafirmou que a proposta econômica do governo foi rejeitada em assembléia geral pela categoria.
Após discussão sobre a questão foi marcada reunião para a próxima quarta-feira, dia 24 de outubro, na SAEB, para apresentação da nova proposta do governo. Tão logo a proposta seja apresentada, a diretoria da APLB convocará assembleia geral para apreciação e decisão da categoria.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

SALÁRIO DE SETEMBRO DA REDE MUNICIPAL

SEGUNDO A TESOURARIA, AMANHÃ 18/10, ESTARÁ DISPONÍvEL NA CONTA CORRENTE O SALÁRIO DOS EFETIvOS QUE GANHAM ATÉ R$ 4.900,00.

TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO DECIDEM POR PARALISAÇÃO DE ADVERTÊNCIA

OS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO DA REDE MUNICIPAL, DECIDIRAM NA MANHÃ DE HOJE, EM ASSEMBLEIA, POR PARALISAR AS ATIVIDADES NOS DIAS 17, 18 E 19 DE OUTUBRO PARA COBRAR A QUITAÇÃO DO PAGAMENTO DE SALÁRIO DO MÊS DE SETEMBRO.
NOVA ASSEMBLEIA OCORRERÁ SEXTA-FEIRA, 19/10, ÀS 9H., NO AUDITÓRIO DO IME.

CÂMARA APROVA PROPOSTA QUE DESTINA 10% DO PIB PARA EDUCAÇÃO

 
A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara aprovou nesta terça-feira (16) proposta que cria o PNE (Plano Nacional de Educação) e estabelece 10% do PIB (Produto Interno Bruto) para a área de Educação.
 
A proposta, que tramita na Casa desde 2010, segue para votação no Senado.
Atualmente, União, Estados e municípios aplicam, juntos, cerca de 5% do PIB no setor. Em 2011, o PIB brasileiro somou R$ 4,143 trilhões. Se a lei já estivesse em vigor, a educação receberia R$ 414,3 bilhões.
De acordo com o texto aprovado, serão utilizados 50% dos recursos do pré-sal (incluídos os royalties) diretamente em educação para que, ao final de dez anos de vigência do PNE, seja atingido o percentual de 10% do PIB para o investimento no setor.
A União deverá promover um Fórum Nacional de Educação com o objetivo de acompanhar a execução do PNE e o cumprimento de suas metas. Caberá ainda aos gestores federais, estaduais, municipais e do Distrito Federal a adoção das medidas governamentais necessárias ao atingimento das metas previstas no plano.
Entre os objetivos estabelecidos está o de universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 a 5 anos de idade e ampliar a oferta de educação infantil em creches de forma a atender, no mínimo, 50% das crianças de até 3 anos.
Também está na lista das metas a criação, no prazo de 2 anos, de planos de carreira para os profissionais da educação básica e superior pública de todos os sistemas de ensino e para o plano de carreira dos profissionais da educação básica pública. O piso salarial nacional profissional seria tomado como base.
Uma das estratégias definidas na proposta está a de fortalecer o acompanhamento e o monitoramento do acesso, da permanência e do aproveitamento escolar dos beneficiários de programas de transferência de renda, bem como das situações de discriminação, preconceitos e violências na escola, visando ao estabelecimento de condições adequadas para o sucesso escolar dos alunos.

ERICH DECATDE BRASÍLIA

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Reuniões com o governo nesta quarta, 17 de outubro, às 14h, e na quinta, às 9 horas




Nesta quarta-feira, 17 de outubro, às 14 horas, na SEC, a diretoria da APLB-Sindicato se reúne com o secretário da Educação e técnicos da SEC para discutir a nova proposta econômica do governo – a anterior foi refutada pela categoria -, enquadramento, calendário escolar, férias, entre outros assuntos.

Na quinta-feira, 18 de outubro, a reunião será na SAEB, às 9 horas, com o secretário da Administração e técnicos da secretaria. A proposta econômica do governo e questões administrativas relacionadas aos trabalhadores em educação estão em pauta.

INDICATIVO DE GREVE NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO




OS TRABALHADORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO PODERÃO DEFLAGRAR GREVE POR TEMPO INDETERMINADO, AMANHÃ, EM ASSEMBLEIA, QUE TEM COMO PAUTA:  INDICATIVO DE GREVE. A ASSEMBLEIA OCORRERÁ NO AUDITÓRIO DO IME, ÀS 8H, DESTA QUARTA- FERIA, DIA 17/10.

A DECISÃO SE DEVE AO CONSTANTE ATRASO DE SALÁRIO POR PARTE DO MUNICÍPIO. A CATEGORIA  REALIZOU NOS ÚLTIMOS DOIS MESES DIVERSAS PARALISAÇÕES DE ADVERTÊNCIA, AGUARDANDO PROVIDÊNCIAS DO EXECUTIVO MUNICIPAL. 

sábado, 13 de outubro de 2012

Dia do Professor: parabéns pela luta!


cnte_dia_do_professor_banner_site_final

"A luta dos professores em defesa dos seus direitos e de sua dignidade deve ser entendida como um momento importante de sua prática docente, enquanto prática ética. Não é algo que vem de fora da atividade docente, mas algo que dela faz parte." (Paulo Freire)
A frase do pedagogo pernambucano, patrono da 8ª Conferência Nacional de Educação da CNTE, realizada em setembro em Recife, reforça a necessidade da luta incansável da categoria pela valorização permanente de todos os trabalhadores e trabalhadoras em educação.
Em 2012, a CNTE tem dado continuidade ao trabalhado firme pela garantia de direitos  dos/as educadores/as e pela qualidade da educação pública. A aprovação do PNE na  Câmara dos Deputados, a VI Marcha Nacional, que levou mais de 10 mil trabalhadores/as  para a Esplanada dos Ministérios em Brasília, a Conferência de Educação na terra de Paulo Freire, e as mobilizações regionais contra a Adin dos governadores expressam as agendas de lutas de nossa Entidade pelo reconhecimento da educação como prioridade máxima do país.
Neste momento, a CNTE e seus sindicatos filiados esperam a aprovação do PNE, no Senado, com a destinação de 10% do PIB para a Educação Pública, patamar este a ser alcançado com a alocação de 100% dos royalties do pré-sal para a educação, conforme tem defendido a presidenta Dilma Rousseff e o ministro da educação, Aloizio Mercadante.
A CNTE também luta por uma educação democrática, e o Dia do Professor é mais uma oportunidade para lembrarmos à sociedade a importância da valorização da escola pública como instrumento de elevação das condições sociais do povo brasileiro. Para tanto, o Estado deve assegurar as condições de trabalho aos educadores – professores e funcionários – e de aprendizagem aos estudantes.
Neste dia 15, que todos os/as professores(as) e demais trabalhadores/as em educação tenham orgulho do seu trabalho e continuem lutando para transformar a educação do Brasil.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Reajuste de piso de professores deve ser menor que o previsto

560896_415475031842332_276253534_n



O piso nacional dos professores deverá sofrer um reajuste menor que o previsto
 em razão da queda da arrecadação de tributos pelo governo. A expectativa no
 início do ano era de que os docentes teriam um aumento de 21% em 2013, mas
 o índice corre o risco de ficar abaixo dos 7,86% concedidos em 2010. O Ministério
 da Educação (MEC) diz que a taxa só será definida no fim do ano.
Este ano a categoria recebeu 22% de aumento, o que comprometeu o orçamento
 de Estados e municípios e reabriu a discussão sobre o cálculo do reajuste. Um
acordo entre prefeitos e docentes pode equilibrar a situação. Pela proposta, a
atualização dos salários seria feita pela reposição da inflação do ano anterior mais
 50% da variação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb)
 nos últimos dois anos.
Para o coordenador-geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, a
 mudança deve acabar com as dificuldades para cumprir a Lei do Piso. "É preciso melhorar
 os vencimentos iniciais dos professores para tornar a carreira mais atrativa", diz. A Frente
 Nacional de Prefeitos (FNP) apoia a proposta, elaborada pela Confederação Nacional dos
 Trabalhadores em Educação (CNTE). "O modelo atual torna o salário do professor impagável
com o passar do tempo", afirma o prefeito de Vitória (ES), João Coser, presidente da FNP.
Cara chama de "inaceitável" um projeto de lei que aguarda votação na Câmara e determina
 que a correção do piso seja feita com base na inflação medida pelo Índice Nacional de
 Preços ao Consumidor (INPC). "O trabalhador precisa ter aumentos reais", argumenta.
Atualmente os professores da educação básica (ensino infantil ao médio) na rede pública
 recebem R$ 1.451 mensais. A remuneração vale para uma jornada de trabalho de 40 horas
 semanais. Entidades ligadas ao magistério, porém, afirmam que nem todos os Estados e municípios
 cumprem a norma.
Segundo a CNTE, apenas os governos de Acre, Amapá, Distrito Federal, Mato Grosso e Rondônia
 obedecem a todos os pontos da Lei do Piso, o que inclui a destinação de 1/3 da jornada para
 atividades extraclasse.
A lei existe desde 2008 e já foi contestada por alguns governadores na Justiça. No mês passado seis
 deles questionaram no Supremo Tribunal Federal (STF) a regra em vigor, alegando que perderam a
 autonomia para determinar os vencimentos de seus servidores. O ministro Joaquim Barbosa será o
 relator do processo, que ainda não tem data para ir a julgamento.
O piso é atualizado de acordo com a variação no valor mínimo de investimento por aluno previsto no
(Fundeb). Com menos tributos alimentando o fundo por conta da desaceleração da atividade econômica,
 caíram também as projeções de reajuste salarial para os docentes.
Em nota, o MEC diz que a reestimativa de recursos do Fundeb só é definida pelo Tesouro Nacional no
 fim do ano. "Portanto, qualquer avaliação sobre o volume de reajuste, ou de eventual mudança na
 fórmula, é precipitada", afirma a pasta.

Renda dos(as) professores(as) em baixa!


Os últimos relatórios da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico - OCDE e da Organização Internacional do Trabalho - OIT sobre investimentos educacionais, reforçam os contrassensos denunciados pela CNTE acerca de medidas em curso no Brasil, a exemplo da que sugere congelar o piso salarial nacional dos professores, seja através da aprovação do PL 3.776/2008, na Câmara dos Deputados, seja por meio do julgamento da nova ação direta de inconstitucionalidade movida por seis governadores de estados contra a lei do piso da categoria.
Ambas as análises internacionais revelam que os/as professores/as das redes públicas de educação básica do Brasil estão entre os profissionais com pior remuneração no mundo, percebendo quase 1/3 da renda de seus colegas europeus. Os cálculos da OCDE e da OIT também corroboram outros estudos e pesquisas nacionais, que mostram os profissionais da educação nas piores colocações em termos remuneratórios no país.
Outro dado chocante: os ganhos anuais dos/as professores/as das escolas públicas estão abaixo da renda per capita do país, e quanto mais anos de trabalho na rede de ensino e maior a qualificação profissional do/a professor/a, menor é sua renda em comparação a outros profissionais da iniciativa privada e do setor público. Ou seja: tudo conspira para uma evasão em massa do magistério!
A Pnad 2010 mostrou que a diferença entre a remuneração dos docentes em relação a outras categorias do país aumentou em relação a 2009, ano em que a atualização do piso salarial do magistério ficou próxima da inflação (7,86% contra 6,46%). Não obstante, o achatamento das carreiras profissionais, nos estados e municípios, tem impedido que a média remuneratória do magistério cresça em relação às demais profissões, sobretudo quando analisado o tempo de serviço (profissionais de nível superior com quinze anos de trabalho no magistério percebem remuneração abaixo da metade de outras categorias profissionais com mesmo nível de formação e tempo de serviço equivalente).
Diante desse tenebroso cenário, a OIT recomenda aos governos do Brasil (Federal, Estaduais, Distrital e Municipais) que valorizem o magistério, especialmente através de melhores salários, de condições de trabalho adequadas e de formação inicial e continuada de qualidade e gratuita. Em suma: o diagnóstico externo sobre a educação brasileira legitima a agenda social interna pela aplicação de 10% do PIB na educação, que é essencial para implantar a política de Custo Aluno Qualidade e para elevar a renda do magistério à luz da meta 17 do PNE.
Historicamente, em nosso país, estudantes e professores têm sido vítimas de um sistema educacional precário, que nega o direito à educação de qualidade por meio de fortes contenções orçamentárias, mas que, por outro lado, cobra resultados de “primeiro mundo” num patamar de investimento por aluno (per capita) que é 5 vezes menor que a média europeia. Um enorme contrassenso!!!
Esperamos que as advertências internacionais sobre a necessidade de se valorizar o magistério, e os demais profissionais da educação, ecoem no Executivo, no Congresso Nacional e no Supremo Tribunal Federal, para que todos eles cumpram com suas prerrogativas de defender uma política publica da mais alta importância para a promoção da cidadania e para o crescimento sustentável e inclusivo. Ao Executivo, reivindica-se a execução de políticas emanadas nas conferências de educação; ao Congresso, caberá aprovar o PNE e o mecanismo que mantenha ganho real ao piso salarial nacional do magistério; e, ao STF, espera-se a rejeição integral da Adin 4.848, que visa, anacronicamente, anular a valorização da categoria de forma equânime no país.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

INDICATIVO DE GREVE NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO


OS TRABALHADORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DELIBERARAM HOJE, EM ASSEMBLEIA, POR INDICATIVO DE GREVE NA PRÓXIMA QUARTA-FEIRA, 17/10.
A DECISÃO SE DEVE AO CONSTANTE ATRASO DE SALÁRIO POR PARTE DO MUNICÍPIO. A CATEGORIA  REALIZOU NOS ÚLTIMOS DOIS MESES DIVERSAS PARALISAÇÕES DE ADVERTÊNCIA, AGUARDANDO PROVIDÊNCIAS DO EXECUTIVO MUNICIPAL. 

SALÁRIO DO MÊS DE SETEMBRO DA REDE MUNICIPAL



SEGUNDO A TESOURARIA, AMANHÃ, 11/10, ESTARÁ DISPONÍVEL EM CONTA CORRENTE O SALÁRIO DOS EFETIVOS QUE GANHAM ATÉ R$ 3.080,00.

sábado, 6 de outubro de 2012

ASSEMBLEIA REDE MUNICIPAL

CONFORME DELIBERAÇÃO DA ÚLTIMA ASSEMBLEIA DE AGUARDAR O QUINTO DIA ÚTIL PARA EFETIVAÇÃO DO PAGAMENTO, INFORMAMOS QUE NÃO FOI REALIZADO O PAGAMENTO ATÉ A PRESENTE DATA.
CONVOCAMOS ASSEMBLEIA PARA QUARTA-FEIRA, ÀS 9:30, NO AUDITÓRIO DO IME. 

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

SUSPENSA A PARALISAÇÃO DA REDE MUNICIPAL

TENDO EM VISTA A CONCLUSÃO DO PAGAMENTO DO SALÁRIO DOS CONTRATADOS E A RECARGA DO VALE TRANSPORTE, FICA SUSPENSA A PARALISAÇÃO DA REDE MUNICIPAL PREVISTA PARA TERÇA-FEIRA, 02/10, CONFORME DELIBERAÇÃO EM ASSEMBLEIA.

Paralisação na quarta-feira, 3 de outubro, da rede estadual


 Os professores da Rede Estadual vão parar as atividades na quarta-feira, dia 3 de outubro. Os educadores cobram do governo o cumprimento do acordo feito no fim da greve

A decisão foi tomada durante a assembleia realizada pela APLB-Sindicato na manhã de terça-feira, 18 de setembro, em Salvador.

A agenda de setembro está mantida. Outra assembleia deve acontecer na segunda quinzena de outubro.