APLB

quinta-feira, 12 de abril de 2012

PROFESSORES DA REDE ESTADUAL DE ILHÉUS, EM GREVE!


APPI NA IMPRENSA-Enilda Mendonça

Categoria em assembleia no IME-Centro
Direção da APPI-APLB Sindicato
Hoje, 12/04/2012, pela manhã, no auditório do IME-Centro, os professores da rede estadual de ensino da Bahia, em Ilhéus, participaram de mais uma assembleia para deliberação de ações para o movimento grevista instaurado desde ontem em todo o estado.
Nessa  assembleia, uma agenda de atividades foi discutida. Abaixo, as atividades que serão desenvolvidas pela categoria e sindicato.

Sexta-feira, dia 13/04
  • Encontro dos professores na porta da APPI- APLB Sindicato às 8H para visitar todas as escolas do município e colocação de cartazes
 Segunda-feira, dia 16/04 
  • Reunião com o comando de Greve de Ilhéus, na sede da APPI/APLB.
  • Panfletagem. Ponto de encontro, às 14H, na Praça Misael Tavares ( Lateral do Mário Pessoa e escola Heitor Dias)
erça-feira, dia 17/04
  • Reunião da diretoria da APPI-APLB Sindicato para deliberação de viagem a Salvador ( Assembleia Geral com participação de caravanas do interior)
  • Quarta-feira, dia 18/04
    Ato público na porta da GOVERNADORIA,  em Salvador.
  • Quinta-feira, dia 19/04

  • Assembleia Geral em Salvador

Sexta-feira, dia 20/04

  • Assembleia Geral para os professores da rede estadual de ensino de Ilhéus, às 14H, no auditório do CEEP ( Colégio Estadual)

CNTE FAZ MOÇÃO DE APOIO AOS TRABALHADORES DA REDE ESTADUAL DA BAHIA

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, entidade representativa de mais de 2,5 milhões de profissionais da educação básica pública no Brasil, à qual a APLB/BA – Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia é afiliada, vem a público manifestar seu irrestrito APOIO à greve dos educadores estaduais da Bahia, por entender que a luta pelo Piso Salarial Nacional do Magistério, por melhores condições de trabalho e pela qualidade social da educação pública é legítima.
Para a CNTE, somente mobilizados e organizados, os(as) trabalhadores(as) em educação poderão construir uma escola pública gratuita e de qualidade para todos e em todos os níveis e modalidades de ensino. A deflagração de greve é o último recurso usado na luta por melhores condições de trabalho.
Neste sentido, a Confederação espera que o governador, Jaques Wagner, abra o canal negociação, reconhecendo, na prática, o direito constitucional à livre associação sindical e, consequentemente, o direito de negociar as suas condições de trabalho e perspectivas de carreira para o funcionamento permanente da educação pública.
Assim, a CNTE endossa a necessidade de que seja encaminhada, com urgência, uma proposta concreta para as reivindicações da categoria, uma vez que a Lei do Piso Salarial Nacional do Magistério é uma conquista, não somente para os trabalhadores em educação, mas também para a sociedade brasileira, uma vez que a valorização do educador reflete na melhoria da qualidade da educação.

Fonte: CNTE