APLB

terça-feira, 25 de outubro de 2016


APPI realizou assembleia temática para discutir os prejuízos da PEC 241


A APPI/APLB-Sindicato realizou na manhã desta terça-feira, no auditório da sua sede, uma assembleia temática com os trabalhadores em educação das redes municipal e estadual para discutir a conjuntura municipal e nacional, em especial os prejuízos para o Brasil caso seja aprovada no Congresso Nacional a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241/2016 que congela os gastos públicos por 20 anos e afeta principalmente os setores da educação e da saúde. O encontro teve como palestrantes o presidente do Sindicato dos Bancários na Bahia, Augusto Vasconcelos, e a presidente da União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação (UNCME), Gilvânia Nascimento.



O presidente da APPI/APLB-Sindicato, Osman Nogueira Junior, falou da importância da categoria estar atenta e unida para acompanhar a tramitação desse projeto e mobilizada para evitar que essas propostas sejam aprovadas pelo Congresso Nacional, tendo em vista os prejuízos que trazem para os trabalhadores. De acordo com os palestrantes, a PEC 241/2016 prevê o congelamento de gastos públicos em setores básicos como a educação, durante vinte anos, aliada à vedação de concursos públicos. Considerada como a “PEC do desmonte”, a proposta tem mobilizado estudantes, servidores públicos e movimentos sociais em todo o país, especialmente das instituições públicas de ensino, com o objetivo de barrar um processo que busca precarizar a educação.



Os palestrantes chamaram a atenção para a importância de todos os segmentos da sociedade nesse processo de mobilização contra a PEC, não somente nas redes sociais, mas realizando e participando das atividades. Já os trabalhadores em educação que participaram da palestra fizeram questão de colocar que é preciso também incentivar os movimentos que estão nessa luta. Segundo eles, enquanto setores importantes da educação e da saúde, por exemplo, não se dão conta dos prejuízos dessa PEC para o Brasil, os estudantes estão dando uma verdadeira aula de cidadania ocupando as instituições de ensino para barrar a proposta.



APOIO - Na assembleia temática os trabalhadores em educação decidiram apoiar os estudantes das instituições de ensino que estão ocupando as unidades contra a aprovação da PEC. Já nessa quarta-feira, os trabalhadores em educação das redes municipal e estadual de Ilhéus estarão participando de um ato em apoio aos estudantes, às 16 horas, no Instituto Federal da Bahia, na rodovia Ilhéus-Itabuna. Já na sexta-feira, dia 28, às 8 horas da manhã, será a vez do apoio aos estudantes da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). . A proposta é realizar nesses locais um ato público e também levar alimentos para os estudantes que permanecem ocupando as unidades de ensino.