APLB

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Projeto realizará ações de combate à violência no bairro Teotônio Vilela


Desenvolver uma série de ações educativas, artísticas e cidadãs para combater o uso das drogas e reduzir a violência no bairro Teotônio Vilela. Esse e o objetivo do projeto “Teotônio Vilela sem Violência é Bem Melhor”, que está sendo desenvolvido através de ações conjuntas entre a APPI/APLB-Sindicato, Polícia Militar, Secretaria Municipal de Educação, escolas públicas e particulares, Associação de Moradores e a comunidade do local.

O projeto foi debatido e apresentado na manhã deste sábado na Escola Estadual Fábio Araripe, reunindo trabalhadores em educação, diretores de escolas, alunos, pais e membros da comunidade. Durante o evento os organizadores do projeto mostraram a importância da participação de todos nessa iniciativa de combater a violência dentro e fora das escolas. E esse trabalho, segundo os organizadores, pode ser realizado através de ações educativas e artísticas nas áreas de música, dança, teatro, literatura, artes plásticas, esportes, meio ambiente e várias outras áreas.

A ideia é envolver esses alunos e a comunidade nas ações educativas e culturais, com trabalhos inicialmente nas escolas e posteriormente extrapolar os muros dos colégios, com a culminância do projeto num grande ato público para mostrar à comunidade o talento dessas crianças e jovens e o quanto mudou a realidade na vida dessas pessoas e no bairro. O próximo passo será uma reunião ampliada com pais e alunos para mostrar o projeto e como cada um pode estar inserido nessa iniciativa.

No encontro desse sábado já foi possível ver o quanto a arte, a cultura e o esporte podem mudar a realidade dos alunos. Estudantes de diversas escolas do bairro se apresentaram para mostrar o talento e as habilidades de cada um. Também foram proferidas palestras sobre os perigos do uso das drogas e os problemas que podem causar na vida social e na família.


O presidente da APPI, Osman Nogueira Junior, falou da importância e do alcance social do projeto, que busca mudar a realidade da violência no bairro Teotônio Vilela. Mas para que essas ações possam se tornar realidade é preciso contar com o apoio, o envolvimento e a participação de todos. E essa transformação, segundo o presidente da APPI, não se dará com ações repressivas, mas com o desenvolvimento de projetos culturais e educativos onde será possível despertar novos talentos e mostrar a essas crianças, adolescentes e jovens um novo olhar para o mundo.