APLB

quinta-feira, 3 de julho de 2014

REDE ESTADUAL URGENTE!!!!! As inscrições para Curso de Aperfeiçoamento em Tecnologia Educacional 5 a 11 de julho


 O Governo do Estado da Bahia publicou, no Diário Oficial desta quarta-feira (2/7), a Lei nº 13.185/14, que estabelece normas para a promoção do magistério público do ensino fundamental e médio do Estado da Bahia para os anos de 2015 e 2016. A Lei beneficia servidores ocupantes de cargo permanente de professor e coordenador pedagógico em efetivo exercício que, necessariamente, precisarão fazer o Curso de Aperfeiçoamento em Tecnologia Educacional, cujas inscrições serão realizadas de 5 a 11 de julho, pelo Portal da Uneb (www.uneb.br/cursoti). A inscrição para o curso gratuito garantirá a antecipação de 3,7% do valor da promoção, de acordo com o vencimento básico do servidor, na folha de pagamento deste mês de julho de 2014.

Pais e trabalhadores não descartam possibilidade de greve geral em Ilhéus

Pais de alunos e trabalhadores em educação da rede municipal de Ilhéus realizam uma nova reunião nesta sexta-feira, dia 04, às 8h30min, na Câmara de Vereadores, em sinal de protesto contra a decisão do prefeito Jabes Ribeiro de não cumprir a lei que determina o pagamento do piso nacional dos professores e o reajuste salarial anual dos demais servidores e também por se recusar a negociar com a categoria. No encontro também será discutido sobre a situação grave da educação em Ilhéus, com escolas em péssimas condições de funcionamento, sem transporte e sem merenda escolar.

Os trabalhadores e pais não descartam a possibilidade de realizar uma greve por tempo indeterminado, já que a pauta da campanha salarial de 2014 foi protocolada na Prefeitura em dezembro do ano passado, mas até agora o governo não apresentou uma proposta de negociação. No ano passado os trabalhadores em educação realizaram uma greve de mais de 80 dias e como o governo municipal insistiu em não conceder a reposição salarial, os sindicatos decidiram ingressar na justiça para cobrar seus direitos. Em sua decisão, a juíza da Vara do Trabalho deu ganho de causa aos trabalhadores, mas o prefeito se recusa a atender à determinação judicial.

A presidente da APPI/APLB-Sindicato, Enilda Mendonça, explica à categoria que não haverá paralisação nesta sexta-feira, mas sim uma assembléia para discutir os caminhos que serão trilhados pelos trabalhadores em educação, com o apoio dos pais de alunos, caso o governo municipal insista em não conceder o piso nacional e a reposição salarial previsto na lei.

Ainda no encontro será discutido sobre a decisão do prefeito Jabes Ribeiro de descontar dos salários, de forma arbitrária e ilegal, os dias em que foram realizadas paralisações e assembléias dos trabalhadores, como forma de intimidar os servidores para que não lutem pelos seus direitos. A APPI já entrou com um mandado de segurança na justiça denunciando a ilegalidade e solicitando o imediato reembolso dos recursos descontados de forma ilegal.