Edézio Lima é o acusado mandar matar professores (Foto Imprensa Livre).

EXCLUSIVO

O juiz da Vara Crime de Porto Seguro, Roberto Freitas Júnior, decretou a prisão preventiva do secretário de Governo, Edézio Lima, principal acusado de mandar matar os sindicalistas Álvaro Henrique Santos, 28, e Elisney Pereira, 31, dirigentes do Sindicato dos Professores do município. A preventiva foi solicitada pelo delegado Evy Paternostro, que presidiu o inquérito do caso.

Os dois professores foram mortos em setembro do ano passado. Elisney morreu na localidade conhecida como Roça do Povo. Álvaro, que presidia o sindicato, morreu após dias internado no Hospital São Rafael. Os dois eram líderes de um movimento que pedia melhorias salariais para a categoria em Porto.

As investigações do caso ocorreram em segredo de Justiça. As suspeitas sobre a participação de Edézio Lima como mandante do crime aumentaram ainda mais a partir da tentativa de morte contra o motorista do secretário, Antônio Carlos Santos, que “sabia demais”.

O motorista não sobreviveu. Outro vítima de tentativa de homicídio foi o ex-presidiário Itamar Pereira Santos, 25 anos. Tido como testemunha-chave para o caso, Itamar sofreu atentado. Levou 12 tiros, mas conseguiu sobreviver. Ele encontrava-se internado no Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (Hblem).

Além de ocupar o cargo de secretário de Governo de Porto Seguro, Edézio Lima, o suspeito, é um dos membros da comissão executiva estadual do PSB baiano. Mais informações em instantes.

Às 12h50min – O Pimenta tentou, há pouco, contato com o secretário Edézio Lima. O celular, no entanto, estava desligado.