APLB

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

Professores da Rede Estadual formam grupo de estudos para barrar iniciativa do governo


Em assembleia realizada na manhã dessa quarta-feira (02), professores da Rede Estadual de Ilhéus discutiram o escopo do Projeto de Publicização dos Serviços de Suporte Administrativo e Operacional nas unidades escolares estaduais da Bahia. A CNTE e a APLB já haviam divulgado, publicamente, posicionamento contrário e Nota de Repúdio à implementação desse projeto mas, ainda assim, a categoria deliberou que a APLB Central realize um amplo debate no estado sobre a tentativa de privatização da Rede Estadual de Ensino, em especial nas regiões de Salvador, Alagoinhas, Ilhéus e Itabuna que serão utilizadas como piloto na implementação da proposta.

Diante da gravidade, no que tange ao pleno exercício da educação pública gratuita no estado da Bahia, compreendemos a necessidade urgente de envolver nessa discussão diversos atores sociais, com objetivo de desacelerar o cumprimento da Portaria n° 770/2019, publicada em Diário Oficial pelo Secretário da Educação, no dia 09 de setembro de 2019. Um grupo de estudo foi formado para avaliar a proposta e pensar estratégias de mobilização para barrar esta iniciativa do governo do estado.

Não podemos permitir que o governador Rui Costa, eleito com discurso em defesa da educação, tenha as mesmas atitudes do programa neoliberal e ultraconservador do Governo Bolsonaro, a exemplo do Projeto Future-se proposto para as universidades federais, utilizando como justificativa dessa proposta de terceirização a economicidade. É preciso compreender a educação como investimento e não apenas como gasto público.