APLB

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

“Aposentado sim, ativo sempre”. Manifestação marca o Dia Nacional de Luta do Aposentado

Em todo o país, manifestações e protestos chamam a atenção para as dificuldades que enfrentam os aposentados.Em Salvador, a manhã desta quinta-feira (24), escolhida para celebrar o Dia Nacional de Luta dos Aposentados foi marcada pela fé e desejo de mudanças.  A busca por mais respeito, dignidade e valorização foi o que moveu um grande número de aposentados neste dia de luta na Praça da Piedade. A APLB-Sindicato mais uma vez esteve presente incentivando a luta e defesa dos trabalhadores em Educação.

 

A diretora da entidade Luzia Freitas, em parceria com outros membros da diretoria, defendeu as principais bandeiras de luta dos aposentados. Dentre as principais reivindicações: a garantia do Piso Salarial dos Aposentados do nível médio; paridade entre os ativos e aposentados; política de valorização dos aposentados; campanha salarial específica dentro da pauta do governo, entre outras. Sobre a importância do Dia Nacional de Luta dos Aposentados, a diretora Luzia Freitas destacou que “é um dia que nós nos empenhamos em buscar nossos direitos que estão no Estatuto e na Constituição”. A aposentada Sônia Real, afirmou que a APLB-Sindicato sempre deu cobertura para esta luta dos aposentados. Ela é ex-dirigente da APLB, mas continua representando a entidade no Fórum e Conselho Municipal dos Idosos.

 

Participação massiva

 

Os trabalhadores em Educação vestiram camisas com os dizeres “Aposentado sim, ativo sempre!”, que revelavam o espírito de luta da categoria. Ailena Freitas, aposentada há 13 anos, destacou a motivação do movimento e apoio da APLB-Sindicato. “Tem que fazer sempre um movimento, sim. Se pararmos é pior. A parceria do Sindicato fortalece o nosso grupo. Temos que continuar lutando”, afirmou. Para a aposentada Raimunda Araújo, do município de Rui Barbosa, o apoio do Sindicato é de extrema importância, principalmente no que diz respeito ao tratamento legal destes esforços. “A parceria existe e é muito importante, mas acho que também é preciso dar uma maior ênfase no suporte jurídico para que se possa contemplar de maneira ampla a garantia dos direitos já adquiridos”, explicou. Mas, outros trabalhadores estavam no protesto como o cobrador de ônibus aposentado João Fróes. “Estou aqui em busca de valorização e respeito. É revoltante a situação dos aposentados no Brasil”, criticou.

 

A manifestação que contou com a participação de diversos trabalhadores e associados da ativa, teve início às 8 horas, na missa realizada na Paróquia de São Pedro e logo após, às 9 horas, várias entidades sindicais e associações saíram em passeata junto com os aposentados em direção ao Campo Grande.

 

Foguetes, apitos, cartazes, carros de som, camisas que traduziam o espírito de luto e diversas faixas com frases como: “País sem memória. Somos os heróis esquecidos de um país que não é para todos”; “Trabalhadores, nós somos vocês amanhã”, transformaram a manifestação num movimento amplo e fortalecido. Além da APLB-Sindicato a atividade de protesto contou com o apoio e liderança de associações, sindicatos filiados e entidades sindicais como a Confederação Brasileira de Aposentados, Pensionistas e Idosos (COBAP); Federação das Associações de Aposentados, Pensionistas e Idosos (FEASAPEB); a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB Bahia); a Casa dos Aposentados (ASAPREV); Associação dos Trabalhadores Aposentados e Pensionistas da Petrobras (ASTAPE-BA) e outras.

 

Foto: Walmir Cirne