APLB

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

APPI APLB SINDICATO E CATEGORIA DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO REALIZARAM REUNIÃO APÓS AUDIÊNCIA COM O EXECUTIVO



Trabalhadores a caminho da Câmara


Categoria reunida para deliberações


Hoje, 01 de setembro de 2011, a Categoria dos Trabalhadores em Educação de Ilhéus paralisaram suas atividades escolares conforme deliberação em assembleia ocorrida no dia 30 de agosto.

O motivo principal foi a falta de cumprimento de um dos pontos da campanha salarial 2011, neste caso, o enquadramento dos servidores de escolas.

A APPI APLB Sindicato participou de uma audiência com o executivo, hoje, por volta das 16h e a categoria dos Trabalhadores em Educação se reuniu na Praça da Prefeitura para aguardar o resultado dessa audiência que, por parte do Governo não avançou e mais uma vez descumpriu com o acordo.

Após a audiência, APPI e Trabalhadores foram até a Câmara de Vereadores para novas deliberações e decidiram realizar uma nova assembleia para a próxima terça-feira, dia 06 de setembro, às 10H. O local ainda não foi definido mas amanhã, 02/09 (sexta-feira) divulgaremos aqui, no blog, e em outros canais de comunicação o local da assembleia.

Projeto que modifica regras do Planserv é aprovado sob vaias

Após 9 horas de debate a muita confusão, os deputados estaduais baianos aprovaram, às 23h55 desta quarta-feira (31), o Projeto de Lei 19.394/2011, que institui mudanças no Planserv (plano de saúde dos servidores estaduais), entre elas a polêmica criação do “fator moderador” no número de consultas, exames e emergências de cada beneficiário. O resultado da votação registrou 39 votos favoráveis e 20 contrários à proposta. Os parlamentares Gildásio Penedo e Rogério Andrade (ambos do DEM, mas que estão de malas prontas para o PSD), faltaram à apreciação da matéria e terão seus pontos cortados do salário. Conforme o texto acatado pelos parlamentares, o número de consultas foi limitado a doze por ano; o de exames a 30; e a restrição a consultas de urgência e emergência a dez (todos os procedimentos adotados durante as emergências não entram na cota). A proposta prevê que, no mês em que o servidor extrapolar a cota, começará a pagar contribuições por cada procedimento adicional realizado (R$ 10 por exame, R$ 7 por emergência e R$ 6 por consulta). Esta cobrança, entretanto, será limitada a R$ 30 por mês por categoria – após extrapolado o limite, se o servidor realizar 5 consultas de emergência, por exemplo, não pagará R$ 50, mas R$30. Excetua-se desta norma os servidores que possuem algum tipo de doença crônica ou está em tratamento. (Por: Rafael Rodrigues)

Legislativo aprova projeto que regulariza o uso do Planserv

A Assembleia Legislativa aprovou ontem, por 39 votos a favor e 20 contra, o Projeto de Lei 19.394, que regula a utilização do Planserv por parte dos servidores públicos. Diante da obstrução da oposição, o processo de votação se prolongou até às 23h50, diante de galerias lotadas por representantes do funcionalismo.


Para ler mais sobre a matéria, copie o link abaixo e cole na barra de endereços.
http://www.egba.ba.gov.br/diario/_DODia/DO_frm0.html