APLB

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Trabalhadores decidirão no dia 24 sobre greve na educação em Ilhéus

Em assembleia realizada na tarde desta quarta-feira, no pátio do IME-Centro, os trabalhadores em educação da rede municipal de Ilhéus decidiram realizar um novo encontro no próximo dia 24, às 8 horas da manhã, para decidir então se decretarão ou não greve por tempo indeterminado. Os trabalhadores querem o cumprimento da lei do piso nacional dos professores e o reajuste anual dos demais servidores mas, segundo eles, o governo municipal insiste em não respeitar as leis.

O ano letivo de 2014 seria iniciado na última segunda-feira, dia 14, nas escolas da rede municipal de Ilhéus, mas a categoria decidiu fazer uma paralisação de advertência de três dias, em sinal de protesto pelo fato do governo municipal não ter assinado o acordo de campanha salarial 2014 que prevê, dentre outros pontos, o pagamento do piso nacional dos professores e o reajuste salarial dos demais trabalhadores. Os trabalhadores aguardavam que nesse período o governo municipal viesse a apresentar uma proposta para a categoria, o que não aconteceu.

A presidente da APPI/APLB-Sindicato, Delegacia Sindical Costa do Cacau, Enilda Mendonça, informou que a data base da categoria é janeiro de 2014 e pauta da campanha salarial, aprovada por unanimidade pelos trabalhadores em educação, foi protocolada na Prefeitura de Ilhéus em dezembro do ano passado, mas até o momento o governo municipal não assinou o acordo. Enilda Mendonça informou que os trabalhadores estão tentando de todas as formas negociar com o governo municipal para que a lei seja cumprida e seja assim garantido o reajuste dos servidores e o pagamento do piso nacional dos professores.

Conselho de Alimentação Escolar rejeita prestação de contas do PNAE da Prefeitura de Ilhéus

Por cinco votos a dois, o Conselho de Alimentação Escolar(CAE) rejeitou, em reunião realizada na manhã desta quarta-feira (16), a prestação de contas da Prefeitura de Ilhéus referente aos recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) do ano de 2013. De acordo com o CAE, o relatório que rejeitou as contas será encaminhado  para o ao FNDE, Ministério Público Estadual, Corregedoria Geral da União (CGU) e demais órgãos que o conselho julgar necessário, para as devidas providências.