APLB

terça-feira, 11 de junho de 2019

AGENDA – Greve Geral da Classe Trabalhadora


 

Em defesa da Educação Pública de qualidade, contra os cortes de verbas, pela aposentadoria e por mais empregos, os cerca de 4,5 milhões de trabalhadores do setor vão parar no dia 14 de junho na Greve Geral da Classe Trabalhadora. O movimento é organizado pelas principais centrais sindicais – CTB, Força Sindical, CGTB, CSB, Nova Central, CSP- Conlutas e Intersindical.

EM ILHÉUS, o ato público terá concentração a partir das 8h, na Praça Cairu.

A APLB-Sindicato orienta a paralisação da Rede Estadual nos dias 13 e 14 de junho.


Caruru Solidário dos servidores afastados recebe apoio da comunidade de Ilhéus

 
O movimento Caruru Solidário em apoio aos servidores municipais afastados pelo prefeito Mário Alexandre recebe o apoio da comunidade de Ilhéus. O evento realizado na sexta-feira, dia 7, com  o objetivo de arrecadar recursos para a compra de cestas básicas, vendeu os 250 pratos preparados pelos próprios servidores. Pelo sucesso da iniciativa, mais um Caruru Solidário será servido nesta quinta-feira, dia 13.

Através dos sindicatos que representam a categoria, os servidores admitidos entre 1983 e 1988 travam uma batalha jurídica com o governo que os afastou da folha de pagamento, desde o mês de janeiro último, e relegou esses trabalhadores, com mais de 33 anos de serviços prestados, a uma situação de extrema dificuldade, sem o respeito nem reparação de nenhum dos seus direitos.
 
Desde então, os sindicatos Sinsepi, APPI\APLB, Sindguardas e Sindiacs\ACE realizam uma campanha comunitária de arrecadação de alimentos para distribuição de cestas básicas aos servidores mais vulneráveis em termos de segurança alimentar. Cerca de 250 trabalhadores encontram-se sem salários, sem vale-alimentação, vivendo uma situação de miséria por culpa do prefeito Mário Alexandre e sua equipe.

Nesse sentido, os sindicatos agradecem ao apoio recebido de diversos segmentos da comunidade, dos servidores municipais da ativa, de outros sindicatos de trabalhadores, que têm colaborados com o movimento dos servidores afastados nesse momento em que sofrem a perseguição do prefeito municipal. “A união tem sido uma ferramenta de resistência que tem fortalecido nossa luta. Acreditamos na Justiça e vamos até o fim contra a atitude injusta desse prefeito”, afirma o presidente da APPI\APLB, Osman Nogueira.