APLB

quinta-feira, 15 de março de 2018

APPI está presente no Fórum Social Mundial



A direção da APPI/APLB está presente na 13ª edição do Fórum Social Mundial (FSM 2018), em Salvador. Com início no dia 13 e encerramento no dia 17 de março, o evento é o espaço de convergência de cerca de 60 mil participantes, de 120 países e 1500 coletivos, organizações e entidades que lutam pela democracia e contra o neoliberalismo.

O presidente do sindicato, Osman Nogueira, e a diretora intermunicipal, Enilda Mendonça, participam de diversos paineis de debate sobre a reforma da previdência, o sistema financeiro e a luta dos povos pela defesa da democracia. Entre os espaços visitados, eles estiveram no Estádio de Pituaçu, para a Assembleia Mundial em Defesa das Democracias. "Lutar pela democracia é lutar pela soberania do povo e pelo direito dos trabalhadores e trabalhadoras de ter acesso a políticas  sociais", destacou o professor Osman.





Aluna da Escola Estadual Eduardo Catalão é vencedora de concurso de poesia




Fonte: Secom (texto e fotos)

Júlia Thalita Oliveira Correia, estudante da turma A, do 3º ano do ensino médio, da Escola Estadual Eduardo Catalão, é a vencedora do Concurso de Poesia Castro Alves, promovido pela Secretaria Municipal da Cultura, com o apoio da Academia de Letras de Ilhéus. Em segundo lugar ficou a estudante Alice Martins Valero, do 9º ano, do Colégio Vitória, seguida, em terceiro, por Larissa Beatriz Soares de Sá Mota, do 3º ano do ensino médio, do Colégio São Jorge dos Ilhéus. O concurso ainda premiou, com “Menção Honrosa”, Anastácia Carvalho Vitorino Duarte, estudante da turma A, do 1º ano, da Escola Sesi Adonias Filho. As premiações foram entregues ontem (14) à tarde, em solenidade que aconteceu na praça Castro Alves, ao lado do busto do poeta baiano, no centro de Ilhéus.

Os premiados receberam diploma, publicações da Editus (editora da Universidade Estadual de Santa Cruz) e, a primeira colocada, em especial, um tablet ofertado pela direção do Hospital de Olhos Cenoe, apoiador da iniciativa cultural. A Fundação Pedro Calmon - instituição que coordena o sistema de Arquivos e Bibliotecas Públicas do Estado da Bahia, além de ser responsável pela execução de políticas públicas de fomento ao livro e estímulo à leitura – também doou 20 livros a cada estudante premiado.

Participaram 61 obras, inscritas entre 9 de fevereiro e 9 de março, representadas por estudantes de 10 escolas, entre públicas e privadas. “Pelo fato de ser o primeiro, nos surpreendeu o alto nível”, atestou. Para os próximos anos, a ideia é ampliar o número de escolas participantes e de premiados e lançar um livro com as obras, segundo informou o coordenador Pawlo Cidade.