APLB

terça-feira, 5 de abril de 2016

APPI/APLB esclarece dúvidas dos professores da Escola Estadual Santa Ângela



Dando continuidade ao projeto Agende APPI, a diretora Intermunicipal da APPI/APLB-Sindicato, Enilda Mendonça se reuniu na tarde desta terça-feira com os professores da Escola Estadual Santa Ângela para debater sobre os avanços da educação nos últimos anos e esclarecer dúvidas da categoria.

Durante o encontro Enilda Mendonça falou de questões importantes para os trabalhadores, como a situação da URV, aposentadoria, licenças, reajuste salarial, além da necessidade da união dos trabalhadores para conquistar e assegurar ainda mais direitos para os servidores.

Para solicitar o Agende APPI basta a unidade escolar, das redes municipal ou estadual, entrar em contato com o sindicato, informar as dúvidas e agendar a visita dos dirigentes da APPI/APLB nas escolas.

APPI/APLB discute com professores sobre situação das escolas com a greve dos servidores tercerizados



A APPI/APLB-Sindicato se reuniu na tarde desta segunda-feira, no CEEP Ilhéus, com os professores e diretores da rede estadual de ensino para discutir sobre a situação das escolas, já que os servidores tercerizados estão em greve e muitas unidades estão funcionando precariamente. Durante o encontro os professores falaram das dificuldades de garantir o funcionamento das escolas e das alternativas que estão sendo adotadas para não paralisar também as atividades.

O presidente da APPI, Osman Nogueira Junior, falou da preocupação do sindicato com essa situação e explicou que na semana passada convidou os diretores para uma reunião para tratar justamente da paralisação dos servidores tercerizados e buscar alternativas para resolver o impasse.

Como deliberação da assembleia, a categoria decidiu que os professores continuarão nas unidades escolares normalmente, cumprindo seus horários, já que não estão em greve, e não irão repor esses dias que não houveram aulas por conta da paralisação dos tercerizados. A obrigação de garantir os dias letivos para os alunos, segundo os trabalhadores, é do sistema, que deve providenciar meios de assegurar esses direitos dos estudantes.

Também ficou decidido que a APPI estará acionando o Ministério Público do Estado da Bahia para expor a situação e solicitar que seja cobrado do Governo do Estado uma solução imediata para resolver o problema, garantindo o retorno dos serviços e a normalidade das aulas nas escolas estaduais.