APLB

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Trabalhadores se unem em mais uma greve geral contra a retirada de direitos do povo brasileiro

Em mais uma greve geral em protesto contra a retirada de direitos que o governo de Michel Temer tem imposto à população, trabalhadores em educação e de diversas categorias se unem, nesta sexta-feira (30), em todo o país. As mobilizações são uma luta contra as reformas trabalhista e previdenciária, a Lei da Terceirização e a privatização da educação pública.

Em Brasília, o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Heleno Araújo, e representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e das entidades filiadas estiveram juntos na Praça do Relógio, em Taguatinga. Eles também pediram a saída de Temer e eleições diretas.

Para Heleno, os poderes Executivo, Judiciário e Legislativo atuam contra a população brasileira e, com isso, ela precisa reagir. “Não vamos permitir que continuem assaltando o nosso país, como estão fazendo, tomando atitudes arbitrárias, tanto no processo de estar no poder quando na retirada de direitos da classe trabalhadora. A situação da Emenda Constitucional 95, que reduz recursos da educação, não é só uma denúncia, é fato. É retirar dinheiro da educação para fazer passaporte. É uma aberração o que fazem ao nosso país, com o direito social e humano à educação”, relata.

Segundo o secretário geral da CUT Brasília, Rodrigo Rodrigues, retirar o atual presidente é uma bandeira cada vez mais crescente na categoria e no país. “As Diretas Já são a solução para voltarmos à normalidade democrática no Brasil. As reformas que estão encaminhando no Congresso Nacional são parte do golpe, que começou com o impeachment. Só vamos resolver isso elegendo novamente um presidente pelo voto direto”, explica.

O secretário de Relações Internacionais da CUT Nacional, Antonio Lisboa, considera a greve geral desta sexta-feira extremamente importante e vitoriosa com uma paralisação no país inteiro: “É a continuidade da nossa luta contra os ataques diversos que viemos sofrendo. Não só os direitos trabalhistas estão sendo atacados, mas os direitos humanos”.

Para o Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro/DF), hoje é mais um dia de uma agenda propositiva de luta e enfrentamento contra as reformas trabalhista e da Previdência. “A educação tem o protagonismo muito peculiar e especial nessa luta. Foi a única categoria, em nível nacional, que construiu uma greve e trouxe uma alteração nas contas. O governo percebeu que não teria condições de aprovar as reformas, e nós conseguimos ganhar um tempo para fortalecer o nosso protesto. Hoje, outras categorias se inserem na luta. É uma luta unificada”, frisa a secretária de Formação do Sinpro/DF, Luciana Custódio.

O diretor jurídico do Sindicato dos Trabalhadores em Escolas Públicas no Distrito Federal (SAE/DF), Denivaldo Alves do Nascimento, faz questão de ressaltar os prejuízos da reforma da Previdência para as mulheres do magistério. “Nós temos companheiras hoje no órgão, que já entraram com idade avançada no serviço público, que vão se aposentar com quase 80 anos. É uma reforma extremamente machista, que extrai direito, e a gente não vai permitir isso. Nós vivemos uma crise no país de só retirada dos nossos direitos e de subtração dos nossos salários. Então, estamos aqui na luta contra essas reformas e a favor da classe trabalhadora para a manutenção dos nossos direitos”, conclui.

Fonte: http://www.cnte.org.br/

terça-feira, 27 de junho de 2017

Pesquisa participativa ouve 78 por cento dos trabalhadores da Educação em Una

A APPI/APLB considerou muito positivo o balanço da ação de implementação da pesquisa participativa sobre Saúde do Trabalhador, no município de Una, com todos os 24 monitores da Rede Vida Viva. Realizado nos dias 08 e 09 de junho, o mapeamento do quadro de adoecimento dos trabalhadores da Educação ouviu 300 pessoas - 78 por cento dos trabalhadores - meta que supera o índice médio necessário de 60 por cento, para validar cientificamente o trabalho. A ação teve a parceria da Secretaria Municipal de Educação.

"Após identificar as causas do adoecimento dos trabalhadores, faremos um relatório e a apresentação de um plano de ação apontando caminhos para resolver o problema ", explica o presidente da APPI, Osman Nogueira. 

Nos dias 07 e 08 de julho, a APPI realizará durante todo o dia, em sua sede, um encontro estadual da Rede Vida Viva para discutir as questões ligadas à saúde do trabalhador. A atividade é um desdobramento da ação no município de Una, com a realização de uma avaliação e apresentação do relatório desse trabalho, além da organização de nova implementação no município de Itacaré, nos dias 27 e 28 de julho.

AGENDA APPI - Fórum Permanente de Educação de Ilhéus

A APPI/APLB participou da primeira reunião do Fórum Permanente de Educação de Ilhéus, na quarta-feira (21), na sede da Casa dos Conselhos, com a presença de cerca de 15 instituições da Educação e sociedade civil. Reinstalado em dezembro do ano passado, o fórum tem o objetivo de acompanhar e avaliar as ações do Plano Municipal de Educação (PME).

“O que marcou essa reunião foi a discussão sobre o papel dos conselheiros no fórum e uma avaliação do que já foi feito”, informa o presidente da APPI, Osman Nogueira, que é também presidente do Fórum Permanente de Educação e do Conselho Municipal de Educação (CME). Uma nova reunião foi agendada para o dia 19 de julho para discussão do regimento do fórum.

AGENDA REDE ESTADUAL


quarta-feira, 7 de junho de 2017

Pesquisa participativa sobre saúde do trabalhador

A APPI estará no município de Una nos dias 08 e 09/06 para implementar a atividade de pesquisa participativa sobre Saúde do Trabalhador, com todos os 24 monitores da Rede Vida Viva. O objetivo é fazer o mapeamento do quadro de adoecimento dos trabalhadores da Educação. Em dois dias serão ouvidos 300 trabalhadores.

A ação tem a parceria da Secretaria Municipal de Educação. "A importância dessa atividade é identificar como o ambiente escolar tem afetado a saúde dos trabalhadores", explica a secretária intermunicipal, Enilda Mendonça.

ATENÇÃO TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO DA REDE MUNICIPAL


sexta-feira, 2 de junho de 2017

AGENDA APPI - Eleição direta para gestores de escolas

Na segunda-feira (05), às 9h, na Secretaria de Educação de Ilhéus, a APPI/APLB participará da reunião da comissão que discute as eleições diretas para diretores escolares. "Essa é uma pauta muito importante para garantir a escolha democrática dos gestores", destaca o presidente do sindicato, Osman Nogueira.

quinta-feira, 1 de junho de 2017

AGENDA APPI - Campanha Salarial

A APPI/APLB dá continuidade às ações da pauta de Campanha Salarial com nova rodada de negociações junto ao governo de Ilhéus, nesta sexta-feira (02), às 15h, no prédio anexo de secretarias, no centro da cidade. Serão discutidas questões como a mudança de padrão, condições de trabalho, saúde do trabalhador, mudança de referência e número de alunos por sala. 


AGENDA APPI - Reunião de avaliação dos processos administrativos


Na manhã desta sexta-feira (02), a APPI/APLB acompanhará, na Secretaria de Educação de Ilhéus, a reunião da comissão que discute os processos administrativos da carreira da Educação. "Estaremos presentes para garantir os critérios de seleção para a correta execução desses processos", explica a secretária intermunicipal do sindicato, Enilda Mendonça.  

Acordo entre a APLB e governo do estado garante vários benefícios para os educadores baianos

Em reunião realizada nesta quarta-feira, 31, a direção da APLB-Sindicato e o Governo do Estado fecharam um acordo que garante diversos benefícios para os educadores da rede estadual. A APLB foi representada no encontro por Rui Oliveira (coordenador geral), Marilene Betros (vice-coordenadora), Claudemir Nonato (secretário) e José Dias (diretor)  e o Governo do Estado, por gestores da Secretaria de Relações Institucionais (SERIN), Secretaria da Educação (SEC) e a Secretaria da Administração (SAEB). O acordo  inclui os seguintes pontos:

1 - Revogação da Portaria do Incentivo à Qualificação – A portaria garantia ao professor que concluísse curso de qualificação profissional, gratificação em percentual variando de 10 a 20%, a partir da data em que o requerimento fosse protocolado na SEC. Esta portaria havia sido alterada no ano passado, passando a valer, para efeito de benefício, a data de publicação. Esta alteração foi revogada hoje, 1º de junho de 2017, voltando a valer para efeito remuneratório a data em que foi dada entrada do processo, tornando retroativo todos os benefícios, mesmo para quem deu entrada na época de vigência da portaria anterior. (Confira a Portaria 3797/17 abaixo);

2 - Ampliação da Jornada de 20 para 40 horas:
Coordenador Pedagógico – Todo coordenador pedagógico que for para qualquer escola da rede estadual, a partir de hoje, automaticamente dobrará a carga horária;
Professor com formação em Pedagogia – Fica assegurada a alteração de 20 pra 40 horas, desde que trabalhe em projeto estruturante da Secretaria da Educação;
Professor de Disciplina – Existem 1041 processos de carga horária. Todos eles serão garantidos até a publicação do edital do concurso público, previsto para o final de junho/início de julho.

3 - Concurso Público – Ficou acordado que o Governo do Estado irá realizar concurso público para cerca de 10 mil professores e 3.200 coordenadores pedagógicos. O edital, está previsto para final de junho/início de julho;
4 - Bolsa Auxílio para Aposentandos – O governo ficou de revogar o anexo da Portaria, prorrogando o prazo para as inscrições, que findaram no dia 31 de maio de 2017, a fim de garantir as inscrições para 3 mil bolsas;
5 - CATE – Curso de Aperfeiçoamento em Tecnologias Educacionais – Conforme a SEC, oO curso para quem estava no estágio probatório será realizado no mês de junho;
Sobre as cláusulas econômicas – Está agendada uma reunião APLB/Governo do Estado para tratar esta questão na próxima semana;
6 - Difícil Acesso – Está sendo discutido nova lista, incluindo os que não perceberam.

Fonte: http://aplbsindicato.org.br