APLB

quarta-feira, 15 de abril de 2015

APPI participa de ato contra projeto de tercerização

Diretores e filiados da APPI/APLB-Sindicato foram às ruas de Ilhéus na tarde desta quarta-feira protestar contra a aprovação pela Câmara dos Deputados dos Projeto de Lei 4330 que autoriza a tercerização de todas as atividades de todas as empresas, sejam públicas ou privadas. O movimento foi organizado por sindicatos, associações, partidos políticos, grêmios estudantis e vários segmentos da sociedade civil organizada, com o objetivo de alertar os ilheenses para os prejuízos que aprovação do Projeto de Lei traz para todos os trabalhadores, sejam do serviço público ou da iniciativa privada.

A Câmara dos Deputados aprovou em 08 de abril o Projeto de Lei 4330 que autoriza a tercerização. Com esse projeto, ao invés de contratar diretamente o trabalhador, uma empresa poderá contratar outra que sub-contratará o trabalhador. O objetivo do movimento foi buscar a participação popular para que o Senado Federal possa rejeitar a proposta, além de mostrar os deputados federais da Bahia que votaram contra os trabalhadores.

O movimento contou cocm a participação de representantes dos Sindicato dos Bancários,  Metalúrgicos, Construção Civil, Appi/aplb, Sindicacau, Sindicato dos Comerciários, MLP, JPT,  Sinportil, Sinsepi, Movimento Mulheres em Ação, Sindhotel, Sintepav-BA, Aspra, Coeso, Sindfesba, UJS, Sindguarda-Ba, Sindtaxi, Abes, OSI, Sindrod , Grêmio Estudantil IME, JSB, Sindicato dos Arrumadores, Frente Ampla de Estudantes, FAE, Grêmio Estudantil Ceepamev, Movimento Hip Hop Ilhéus, Sindicato dos Radialistas de Ilhéus, Assentamento Frei Vantuy  e Colônia de Pescadores z-34.






ATENÇÃO PARA O RESULTADO DAS ASSEMBLEIAS REGIONAIS SOBRE AS DATAS DE PARALISAÇÃO DA REDE ESTADUAL

Soberanas, de acordo com o Estatuto da APLB-Sindicato, as 18 regionais decidiram os dias de paralisação neste mês de abril. A proposta de Agenda de Luta com paralisações nos dias 15, 24 e 30 venceu em 13 regionais. A proposta de paralisação nos dias 15, 16 e 17 venceu em 05 regionais. Sendo assim, a rede estadual para nos dias 15, 24 e 30. Leia mais informações sobre o porquê das paralisações e a campanha salarial neste site.  Confira o quadro:

A APLB rejeita reajuste parcelado e reafirma garantia de pagamento retroativo a janeiro



A APLB-Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia informa que apesar de reconhecer o papel importante da Federação dos Trabalhadores Públicos do Estado da Bahia (FETRAB) para o movimento sindical, não participou da decisão da plenária da entidade realizada na segunda-feira (13),  e rejeita a proposta de reajuste parcelado apresentada pelo governo estadual.

A APLB-Sindicato reafirma a proposta da de garantia do reajuste linear de 6,41% mais aumento salarial de 8,75% retroativos a janeiro, mês da data-base da categoria.

Ao mesmo tempo, o sindicato reforça a informação de que nesta quarta-feira, 15 de abril, haverá paralisação na rede estadual e concentração na Praça do Campo Grande, a partir das 15 horas. É o Dia em Defesa da Educação Estadual e Dia Nacional de Mobilização das Centrais Sindicais por uma educação digna. Em Ilhéus o movimento acontecerá às 15 horas, na Praça Cairu.

A posição dos trabalhadores em educação é de cumprimento da sua pauta da campanha salarial. A rede estadual da Bahia para também nos dias 24 (data do aniversário do sindicato e de luta pelo cumprimento da Lei do Piso Nacional e do atendimento às reivindicações da campanha salarial 2015) e 30 (data da Greve Nacional na Educação promovida pela CNTE).


CONTATO:
PROFESSOR RUI OLIVEIRA (coordenador-geral da APLB-Sindicato)
Telefone: 9962-6598