APLB

terça-feira, 21 de maio de 2013

Assembleia da Rede Municipal para discutir Campanha Salarial 2013 - PARTICIPEM!


Professores Assassinados: manifestação nesta quarta-feira em frente ao Tribunal de Justiça da Bahia

Professores Álvaro Henrique e Elisney Pereira

A Delegacia Costa do Descobrimento convida todos os trabalhadores em Educação para participar da manifestação em frente ao Tribunal de Justiça, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador, às 9 horas, na quarta-feira, 23 de maio.

Os assassinos dos professores Álvaro Henrique e Elisney Pereira estão livres. Não podemos ignorar isto e nos manter quietos. Leia a carta aberta abaixo:

 

CARTA ABERTA PARA A SOCIEDADE BAIANA

 

 Prezados/as

 

 A APLB-Sindicato: Delegacia Costa do Descobrimento vem por meio deste instrumento, informar a sociedade baiana, como ocorreu o brutal assassinato dos professores Álvaro Henrique e Elisney Pereira no dia 17 de setembro de 2009.

Professor Álvaro Henrique com 28 anos, pai de uma criança especial com 2 anos na época e o Professor Elisney Pereira com 31 anos, casado, pai de três filhos menores de idade, ambos professores da rede municipal de Porto Seguro-BA.

Professor Álvaro havia tomado posse no mês de junho/2009 como presidente da APLB, liderou um movimento em prol de uma ESCOLA PÚBLICA DE QUALIDADE, além de FAZER DENÚNCIAS NOS ÓRGÃOS COMPETENTES SOBRE IRREGULARIDADES NA APLICAÇÃO DOS RECURSOS DO FUNDEB.

Diante da intransigência do prefeito em não querer negociar, a categoria decidiu pela greve. Dois dias depois de decretada a greve, o Professor Álvaro estava a caminho de uma reunião com uma comunidade escolar, agendada para as 19h, minutos antes, ele recebeu uma ligação de sua mãe, que foi forçada pelos criminosos a dizer que seu filho estava passando mal, sem pensar duas vezes, convida o Professor Elisney e seguem juntos para o sítio onde residia. Ao chegarem, sem nenhuma chance de defesa, foram recebidos a bala.

Depois de meses de investigações o Ministério Público ofereceu denuncia contra o secretario de governo, Edésio Lima, apontado como mandante e dois policiais militares, que faziam a segurança do ex-prefeito, apontados como os aliciadores dos algozes.

No decorrer das investigações, pessoas envolvidas no crime começaram a ser executadas, como queima de arquivo, pois as provas colhidas apontavam para os indiciados pela justiça. Um deles, era motorista do ex-secretário Edésio Lima e conhecido traficante da cidade, foi assassinado, quando estava na companhia de dois PMs. Além dele, outro executor foi assassinado e uma testemunha foi baleada com 12 tiros. Os acusados ficaram presos por cerca de 10 meses e hoje estão livres, aguardando julgamento.

Estes crimes não podem ficar impunes, os familiares, amigos/as e a sociedade em geral, aguardam a decisão do TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA BAHIA, sobre o processo que apura a autoria desta chacina, para colocar os culpados no banco dos réus e que sejam julgados pela sociedade, por meio do JÚRI POPULAR.

 

JÚRI POPULAR JÁ!!!!!!!!

 

DELEGACIA DA COSTA DO DESCOBRIMENTO