APLB

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Obras da nova sede da APPI estão em fase de conclusão



As obras de construção da nova sede da APPI/APLB-Sindicato, Delegacia Sindical Costa do Cacau, já estão em fase de conclusão e nos próximos dias o sindicato vai dispor de um espaço muito mais amplo e moderno. A sede, que fica na rua Lindolfo Collor, 886, Malhado, vai contar com três pavimentos e as mais modernas instalações para melhor atender aos associados.
 

O novo prédio da APPI/APLB-Sindicato vai contar ainda com elevadores e rampas para garantir a acessibilidade, auditório com os mais modernos equipamentos, ambientes climatizados, salas mais amplas, biblioteca e garagens. O presidente da APPI, Osman Nogueira Junior, informa que o prédio está sendo construído com recursos próprios, com a planta e a realização das obras discutidas e aprovadas em assembleias da categoria.

“Nosso objetivo é garantir um espaço melhor, mais amplo para bem atender aos trabalhadores em educação e permitir um desempenho ainda maior das atividades sindicais”, explicou Osman Nogueira Junior. Por conta das obras de construção da nova sede, a APPI passou a funcionar provisoriamente em um novo endereço, na rua Conselheiro Antônio Badaró, 153, também no bairro do Malhado, mas em pouco tempo já estará de volta ao seu prédio próprio.




BALANCETE CONSTRUÇÃO OUTUBRO

BALANCETE 0UTUBRO/2015

FÉ E ALEGRIA LANÇA KIT (CD E DVD) – VIDA DE ESTUDANTE

Em 2012, no Centro Educativo Fé e Alegria em Ilhéus/BA se iniciou um trabalho de composição através de textos coletivos produzidos em salas de aula. Por meio desta atividade se obteve registros com mensagens pertinentes a serem utilizadas para o fomento e promoção da arte e educação. Assim, surgiu o desejo de gravar um CD, e no decorrer do processo, o trabalho foi se ampliando em novos textos, reflexões, coreografias, encenações e artes plásticas. Dando assim, origem ao KIT – VIDA DE ESTUDANTE – CD com 16 canções e DVD com 08 videoclipes com a participação efetiva de 120 educandas/os e toda equipe de educadores/as.

O lançamento desta obra acontecerá no dia 19/12 na TENDA DO TEATRO POPULAR DE ILHÉUS, às 19 horas com a apresentação do espetáculo de mesmo título – VIDA DE ESTUDANTE, partilhando esta conquista com os nossos parceiros/as e com toda sociedade ilheense.

Ingresso R$ 10,00 e R$ 30,00 com direito ao Kit (CD e DVD)
Informações (73) 3632 – 2501

Servidores municipais estarão em vigília na Câmara para exigir rejeição do Estatuto



Os trabalhadores em educação da rede municipal realizaram assembleia na tarde desta quinta-feira (26), na Associação da 19 de Março, e decidiram por unanimidade permanecer em vigília nas sessões da Câmara de Vereadores na próxima terça e quarta-feira para exigir dos parlamentares a rejeição projeto do Estatuto que retornou ao legislativo municipal sem que ao menos tivesse sido discutido amplamente com as categorias. De acordo com os servidores, o Estatuto proposto pelo prefeito Jabes Ribeiro, e que se encontra na Câmara de Vereadores, traz sérios prejuízos para os trabalhadores, acaba cm conquistas históricas e também é inconstitucional pois em diversos trechos vai de encontro ao que determina a Constituição Federal.

Durante a assembleia o presidente da APPI/APLB-Sindicato, Osman Nogueira Junior, mostrou com detalhes os trechos do estatuto proposto pelo governo municipal que retira direitos e garantias constitucionais dos trabalhadores. Ele também falou da forma truculenta e unilateral como se deram as poucas discussões com o governo municipal, já que os representantes do prefeito se negaram a discutir e acatar as sugestões propostas pelos sindicatos, mantendo trechos que são inconstitucionais e que retiram direitos frutos de muitas lutas dos trabalhadores.

Na próxima terça-feira, às 14 horas, os trabalhadores de todas as categorias de servidores municipais participarão de uma assembleia e em seguida acompanharão a sessão da Câmara de Vereadores para solicitar aos parlamentares ilheenses a rejeição do projeto do estatuto.A expectativa dos trabalhadores é contar com o bom senso e a lucidez dos vereadores, não somente a questão legal, já que está sendo discutido um projeto inconstitucional, mas também por ser uma proposição que coloca em risco a vida dos atuais e dos futuros servidores públicos municipais.