APLB

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

DENÚNCIA: CRANÇAS FICAM FORA DA ESCOLA POR PROBLEMA NO TRANSPORTE

DENÚNCIA: CRIANÇAS FICAM FORA DA ESCOLA
POR PROBLEMA NO TRANSPORTE


Várias crianças que são alunas da Rede Municipal de Ensino de Ilhéus, portadores de necessidades especiais, estão deixando de ir à escola por falta de transporte. A denúncia é de uma mãe que informou que o ônibus da VIAMETRO, responsável por pegar as crianças, não comparece todos os dias, o que impossbilita a ida das crianças às escolas.

12/09/08 - Conselhos municipais promovem debate com prefeituráveis.

12/09/08 - Conselhos municipais promovem debate com prefeituráveis.

Os conselhos municipais de educação, alimentação e do FUNDEB vão promover debate com os candidatos a prefeito de Ilhéus, na próxima sexta-feira (19), às 19h. De acordo com a presidente do Conselho do FUNDEB, Enilda Mendonça, o local será confirmado na próxima semana e divulgado em entrevista no programa O Tabuleiro, comandado pelo radialista Vila Nova.


Fonte: O Tabuleiro

12/09/08 - CADEIRANTES REIVINDICAM SEUS DIREITOS EM FRENTE AO MP - ILHÉUS

12/09/08 - Cadeirantes reivindicam
seus direitos em frente ao MP.

Hoje pela manhã (12) aconteceu em frente ao Ministério Público Municipal uma manifestação dos cadeirantes de Ilhéus. Estes junto a parentes e afins reivindicaram alguns dos seus direitos enquanto cidadãos e em especial a carência dos transportes públicos para o deslocamento necessário.

De acordo com a comandante do protesto, Maria Francisca de Brito, o elevador do Transporte Cidadão, responsável pelo deslocamento de cadeiras da parte externa para a parte interna do ônibus, quebrou. Por 34 dias os usuários do transporte efetuaram reclamação, mas o conserto só aconteceu quando se falou a respeito da manifestação que ocorreria hoje.

Maria Francisca enfatizou ainda que só existem dois ônibus, em toda cidade, que realiza esse tipo de serviço, um que serve para a zona sul de Ilhéus e o outro para a zona norte, contudo, a quantidade não é necessária. A comandante do protesto diz ainda, que o estado do ônibus é lastimável e, concordando com suas palavras, o cadeirante Marcos Antônio Jesus afirmou que na semana passada o ônibus quase pegou fogo e todos precisaram ser retirados as pressas. Ele diz que acha tudo isso uma falta de respeito e que quer ter o direito de transitar livremente como qualquer outro cidadão.

Outro cadeirante, Paulo Sérgio Costa Santos, diz que as empresas só tomam algum tipo de providência quando a impressa divulga os fatos e que o desrespeito é muito grande, pois até mesmo a população que deveria ajudar, comete irregularidades como estacionar nas rampas por onde as cadeiras passam. Em relação ao núcleo de atendimento (NAE), o cadeirante Antônio Carlos Soares diz que apesar do serviço ser muito bom, a infra-estrutura do local é de péssima qualidade. Para utilizar o banheiro é preciso que alguém segure a porta, já que essa se encontra quebrada e até o aparelho de medir pressão está em falta.

Os cadeirantes exigem que as empresas de ônibus ampliem a quantidade de “Transporte Cidadão” e adequem uma parte dos coletivos normais para deficientes físicos e cadeirantes. Para isso, eles entrarão com ação no Ministério Público, com o intuito de que o resultado seja mais rápido e preciso.
Em conversa com a promotora Luciana Moreira, ela diz que o responsável pela causa é o promotor Olivan Costa Leal, que não se encontrava no momento, mas solicitou que ela agendasse uma sessão para a próxima segunda-feira, às 8h com a representante do protesto. A promotora disse ainda que tem a plena certeza que o Dr. Olivan vai resolver as reivindicações e ingressar com as ações para que as medidas sejam tomadas.


Fonte: O Tabuleiro
Foto: Adeilton Souza