APLB

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

APPI/APLB PEDE EMPENHO AO JUDICIÁRIO, EXIGE COMPROMISSO DO EXECUTIVO E CONCLAMA A CATEGORIA PARA A LUTA



A APPI/APLB vem a público dizer que nós, TRABALHADORES(AS) EM EDUCAÇÃO, somos funcionários da Prefeitura Municipal de Ilhéus com trabalhos realizados historicamente a serviço da população local e em especial dos(as) estudantes, inclusive no ano de 2012. Entretanto, estamos com a 2ª parcela do 13º salário atrasada, com o salário de dezembro e com o 1/3 de férias em aberto. Isto contradiz o que prevê a legislação, além de ir de encontro ao princípio defendido por Jesus de que “digno é o operário do seu salário”. Portanto:

Pedimos empenho ao Judiciário e em especial ao juiz Eduardo Gil Guerreiro (que já efetuou o bloqueio das contas vinculadas à educação), no sentido de autorizar o Banco do Brasil a efetuar o pagamento da 2ª parcela do 13º, uma vez que o dinheiro está bloqueado e só depende da ação do mesmo. E para tanto, conclamamos a categoria para estar presente na porta do Fórum Epaminondas Berbert de Castro, no bairro da Cidade Nova, NO DIA 21 DE JANEIRO (SEGUNDA-FEIRA), ÀS 9 HORAS DA MANHÃ, fazendo uma vigília por dignidade e salário, de forma pacífica e ordeira, mas dizendo à sociedade e ao Judiciário que somos mais de mil trabalhadores e trabalhadoras com estima baixa, com contas por pagar e com direitos adquiridos, mas desrespeitados.

Ao Executivo, especialmente ao Prefeito Jabes Ribeiro e sua equipe, pedimos compromisso com a Categoria e ação proativa, uma vez que hoje [18] há na conta do FUNDEB a quantia de R$ 1. 866.866,90 [hum milhão, oitocentos e sessenta e seis mil, oitocentos e sessenta e seis reais e noventa centavos], sem falar dos valores que chegarão no dia 20/01 e que já entrarão automaticamente na conta hoje à noite, o que permite que seja iniciado o pagamento dos salários de dezembro, até que a folha seja completamente paga. Ainda lembramos que o Calendário Letivo 2013 já está aprovado pelo Conselho Municipal de Educação, com Jornada Pedagógica a ser realizada e início do Ano Letivo a ser iniciado, coisa que depende da regularização dos direitos trabalhistas dos(as) profissionais da educação, uma vez que “saco vazio não permanece em pé”.

Lembramos à Categoria que a Assembleia está confirmada para o dia 22 de janeiro [terça-feira] no IME-Centro, a partir das 14 horas e que a reunião solicitada foi confirmada para o dia 25 [sexta-feira] no Palácio Paranaguá, a partir das 10 horas, tempo em que conclamamos a todos(as) que estejam na porta do Palácio em vigília e aguardando o resultado da bendita reunião.

“Sonho que se sonha só é apenas um sonho. Mas sonho que se sonha coletivamente, vira realidade.” A Luta que estamos travando para ter nossos salários garantidos não pode ser em vão. Avante!

APPI/APLB-Sindicato/Ilhéus

Notícias sobre pagamento dos salários de dezembro e segunda parcela do 13º

A diretoria da APPI/APLB-Sindicato, Delegacia Sindical Costa do Cacau, através do seu Departamento Jurídico, vem envidando todos os esforços para garantir o desbloqueio dos recursos do Fundeb para o pagamento dos salários do mês de dezembro e a segunda parcela do 13º salário dos trabalhadores em educação da rede municipal de educação de Ilhéus. Na terça-feira (15) o sindicato se reuniu com o secretário municipal de Administração, Ricardo Machado, cobrando o envio da folha de pagamento para o Banco do Brasil. O documento já foi enviado. 

Na manhã de quinta-feira (17) a diretoria da APPI e o advogado Iruman Contreiras se dirigiram até o Fórum de Itacaré para uma audiência com o juiz de direito substituto da 2ª Vara de Feitos de Relação de Consumo Civil e Comercial da Comarca de Ilhéus, Eduardo Gil Guerreiro, buscando a liberação dos recursos. Em seguida a diretoria da APPI foi até o Fórum Epaminndas Berbert de Castro, em Ilhéus, para tratar da liberação dos recursos.

Os diretores da APPI continuam vigilantes e acompanhando todo o processo de liberação dos recursos, para que o Banco do Brasil faça o pagamento imediato dos salários do mês de dezembro e também da segunda parcela do 13º salário. A liberação dos recursos depende agora de uma decisão da justiça.