APLB

terça-feira, 27 de julho de 2010

APLB FAZ MANIFESTAÇÃO PELO PAGAMENTO DA URV



Hoje, 27/07/2010, pela manhã, aconteceu em Salvador uma manifestação em praça pública em função do pagamento da URV.
A presidenta da Delegacia Regional da APLB em Ilhéus, professora Enilda Mendonça foi representando a nossa categoria para passar entendimento dos Trabalhadores em Educação da Região Sul da Bahia sobre essa questão da URV.
Essa briga pelo pagamento da Unidade Real de Valor já vem de muito tempo mas não aguentamos mais a demora da conclusão do processo. É necessário que a luta seja incessante e isso só se dá através da união dos Trabalhadores em Educação e de demais categorias.
Não vamos parar com nossas mobilizações até que o pagamento da URV seja concretizado.
Abaixo, veja a matéria recortada do boletim da APLB-Bahia

C ampanha pelo pagamento da URV

Este ano, a APLB-Sindicato realizou assembleias em março, abril e maio e liderou paralisações pelo pagamento da URV em março, maio e junho. Além disso, a entidade intensificou as atividades no mês de maio com Plenária dos Coordenadores Pedagógicos (em 17 de maio), Seminário sobre Processo de Avaliação/Mudança de Grau (em 18 de maio).
No calendário de atividades da categoria definiu-se a realização de manifestações com paralisação de 24 horas na última terça-feira de julho (27/07); na última quarta-feira de agosto (25/08); e na última quinta-feira de setembro (30/09).

Situação jurídica

Ajuizada em junho de 2004, processo nº 442847-3/2004, numeração atual CNJ 0076135-02.2004.805.0001, em trâmite na 6ª Vara da Fazenda Pública. HISTÓRICO PROCESSUAL ATUAL: Em 09.04.2010, foi publicada no Diário do Poder Judiciário sentença de embargos de declaração, que manteve a sentença anteriormente que julgou procedente o pedido. O Estado da Bahia interpôs recurso de apelação contra a sentença favorável aos servidores, estando no momento os dependendo de despacho do Juiz para abrir vistas à APLB para apresentar contra-razões. Após o cumprimento deste trâmite legal os autos serão encaminhados para o Tribunal de Justiça do Estado da Bahia para apreciação do recurso. Independente da questão processual a APLB-Sindicato continua negociando o pagamento com o governo estadual.