APLB

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Servidores fazem caminhada e recebem apoio dos moradores do Teotônio Vilela

Centenas de servidores públicos municipais de Ilhéus realizaram na manhã desta segunda-feira (12) uma grande caminhada pelas ruas do bairro Teotônio Vilela, com a proposta de conscientizar pais, alunos e a comunidade em geral sobre os prejuízos da greve e a necessidade do prefeito Jabes Ribeiro fechar o acordo com os trabalhadores para acabar com a paralisação. Por onde passava os servidores recebiam o apoio da comunidade, que não somente se juntaram ao movimento, como também denunciaram a situação de abandono em que se encontra o bairro, com postos de saúde desativados, ruas esburacadas, esgotos correndo a céu aberto e as escolas que estão sem funcionar desde o inicio do ano.

Os trabalhadores também distribuíram panfletos alertando a comunidade que a demora do prefeito Jabes Ribeiro em fechar o acordo com os servidores públicos municipais, se negando a conceder a revisão salarial como manda a lei, já está prejudicando toda a cidade, principalmente os mais carentes, que poderão perder o Bolsa Família, pois a falta de frequência nas escolas e o atendimento regular nos postos acaba excluindo as crianças do Programa do Governo Federal.  “Mas Jabes não está nem aí para o povo carente de Ilhéus. Prefere mesmo empregar seus amigos filhos dos antigos coronéis, dando a eles salários altíssimos”, denunciaram os servidores.

De acordo com os trabalhadores, o prefeito se nega a dar a revisão de 5,84% para os trabalhadores, mas encheu a Prefeitura de gente, criando novas secretarias e dando aos seus apadrinhados aumentos de mais de 360%. “Isso é uma vergonha para Ilhéus. Somente para cada secretário o prefeito deu um aumento em torno de três mil reais. Para cada secretário que recebeu esse presente do prefeito era possível dar o reajuste a cerca de 80 trabalhadores”, afirmaram. Os servidores disseram ainda que o Ministério Público Federal do Trabalho reconhece que a revisão salarial é um direito do trabalhador e informou que as reivindicações dos servidores públicos municipais são justas, legais e estão previstas na Constituição Federal e na Lei de responsabilidade Fiscal.

Novas atividades – Como o prefeito se nega a conceder o reajuste dos trabalhadores, a greve continua por tempo indeterminado e novos movimentos estão previstos para toda a semana. Nesta terça-feira será realizada uma concentração na porta do Palácio Paranaguá, a partir das 8 horas da manhã. Já na quarta-feira (14) está previsto uma reunião com a sociedade civil organizada, às 9 horas da manhã, na Câmara de Vereadores, para mostrar os verdadeiros números da folha de pagamento e mostrar que a reposição salarial dos trabalhadores está prevista na Constituição Federal e respaldada na Lei de Responsabilidade Fiscal. Ainda na quarta-feira, a partir das 17 horas, será realizada um happy hour em frente ao Palácio Paranaguá, com a participação de músicos locais, em apoio à greve dos trabalhadores. Na sexta-feira a caminhada dos servidores será no bairro Nossa Senhora da Vitória, com a concentração às 8 horas da manhã, em frente ao módulo policial.
 

Nenhum comentário: