APLB

quarta-feira, 29 de maio de 2019

Sindicatos mantêm campanha para doação de alimentos aos servidores afastados em Ilhéus

 
Os sindicatos representativos dos servidores públicos municipais de Ilhéus mantêm, há cerca de cinco meses, a campanha de arrecadação de alimentos aos trabalhadores afastados de suas funções através de decreto do prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, no início de janeiro último. Este mês, as cestas básicas doadas a uma parcela dos servidores retirados da folha da Prefeitura foram entregues na sede do Sinsepi (Sindicato dos Servidores e Funcionários Públicos de Ilhéus), localizada na Rua Carneiro da Rocha, no Centro da Cidade.

Apesar de todas as decisões judiciais tomadas pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA), que determinaram pela suspensão do Decreto 128, de 7 de janeiro último, pela anulação da sentença proferida pelo juiz da Vara da Fazenda local e pela reintegração dos servidores admitidos legalmente no período 1983-88, o prefeito de Ilhéus tem optado pelo descumprimento das sentenças judiciais. Ao mesmo tempo, a atitude do prefeito relega centenas de famílias de servidores a condições de extrema necessidade material e insegurança alimentar.
 
O presidente do Sinsepi, Joaques Silva, participou da entrega das cestas básicas e disse que a situação dos trabalhadores afastados é de extrema injustiça. “Eles foram desligados da folha sem direito a salário, sem direito a defesa e também retiraram o vale alimentação. Imagine isso para quem possui cerca de 34 anos de trabalho, a um passo da aposentadoria? Isso é desumano”, salienta.

A campanha de arrecadação de alimentos da cesta básica é coordenada pelo Sinsepi, APPI\APLB, Sindguarda e Sindiacs\ACE, diante da situação de dificuldades imposta aos servidores afastados com mais de três décadas no serviço público. A campanha de solidariedade também ganhou o apoio da subseção local da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). 
 
De acordo com a professor Osman Nogueira, presidente reeleito da APPI\APLB, a campanha tem recebido o apoio da população e de empresários locais. “Além de lutar na Justiça pela reintegração dos servidores aos postos de trabalho, as entidades sindicais recolhem cestas de alimentos para assistir a dezenas de servidores que estão em situação de vulnerabilidade”, enfatiza.

O presidente da APPI/APLB acrescenta que os problemas enfrentados pelos servidores demitidos não se restringem apenas à necessidade de alimentos, mas também a situações críticas de saúde, como depressão, crise de ansiedade, hipertensão, entre outras.  “O culpado de tudo isso é o prefeito Marão, por ter jogado os servidores nesse estado de miséria. Mas a luta continua em defesa da dignidade do trabalhador”, afirma Nogueira.




Nenhum comentário: