APLB

sexta-feira, 11 de março de 2016

Trabalhadores em educação de Una rejeitam proposta da prefeita de reduzir a gratificação

Em assembleia realizada na manhã desta quarta-feira, os trabalhadores em educação da rede municipal de Una rejeitaram a proposta feita pela prefeita Diane Rusciolelli de conceder o reajuste salarial da categoria condicionada à redução da gratificação de regência docente.

De acordo com a proposta feita através de ofício pela secretária municipal de Educação, o município concederia o reajuste salarial de 11,36% a todos os docentes na condição de que haja acordo para reduzir 50% da gratificação de regência dos docentes e o nivelamento da gratificação de todos os cargos comissionados na educação para 30%.

Na assembleia a categoria deliberou pela rejeição, por unanimidade, da proposta feita pelo Executivo, argumentando que a Constituição Federal, em seu Inciso VI do artigo 7º traz, dentre todos os direitos dos trabalhadores, a garantia da irredutibilidade salarial.

Em resposta à Secretária de Educação, o diretor geral da Delegacia Regional da APLB Costa do Cacau, Osman Nogueira Junior, e o coordenador do Núcleo da APLB de Una, José Jorge dos Santos, informam que a categoria aguardará o cumprimento dos 11,36% de reajuste anual na folha do pagamento do mês de março para todos os profissionais do magistério. No caso do não pagamento dos 11,36 na folha de pagamento do mês de março, ficou decidido em assembleia que os trabalhadores m educação realização uma nova assembleia para definição, discussão e deliberação de possível paralisação. 




Nenhum comentário: