APLB

quarta-feira, 23 de março de 2011

PROJETO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL CONTRA A DENGUE EM ILHÉUS SERÁ NO DIA 09/04/2011

Uma programação de grandes faxinaços contra a dengue será realizada em 10 municípios baianos, em continuidade das etapas do Projeto de Mobilização Social para Prevenção e Controle da Dengue no Estado da Bahia. O trabalho é uma iniciativa da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), com o apoio da Fundação Luís Eduardo Magalhães (Flem) e secretarias municipais da Saúde. Em Ilhéus um grande faxinaço será realizado no dia 09 (nove) de abril, e o bairro escolhido foi o Alto do Coqueiro.O Projeto de Mobilização Social prevê a atuação em 10 bairros em cada município baiano, e em Ilhéus os locais escolhidos foram os Altos do Coqueiro, do Carvalho, da Boa Vontade e da Soledade, além dos bairros do Basílio, Fundão, Teotônio Vilela, Novo Vilela, Nelson Costa e Nossa Senhora da Vitória. Os critérios para a seleção dos bairros participantes da mobilização são o alto índice de infestação e a quantidade de casos notificados de dengue. A ação engloba recolhimento de lixo e entulhos, visitas aos domicílios, orientação educativa quanto às medidas contra a proliferação do Aedes aegypti, eliminação dos criadouros, panfletagem e certificação de estabelecimentos parceiros, objetivando sensibilizar o cidadão quanto à importância da organização e da mobilização comunitária. As equipes técnicas da Sesab, da Flem, das secretarias municipais da saúde e demais secretarias, da vigilância sanitária, agentes de endemias e comunitários, técnicos de empresas de limpeza pública, e moradores do bairro participarão dessa atividade.
A APPI-APLB Sindicato será parceira desse projeto.
Faça a sua parte. Ajude a combater a dengue em nosso município.

PNE-PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PREVÊ MAIS INVESTIMENTO

A meta de número 20 do Plano Nacional de Educação (PNE) prevê o aumento de 2% no investimento em educação como proporção do Produto Interno Bruto (PIB). Assim, a educação passará a receber recursos da ordem de 7% do PIB.
O objetivo foi defendido nesta quarta-feira, 23, pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, na Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados.“Estamos falando de R$ 80 milhões a mais para cumprir as metas do PNE”, explicou Haddad. Da maneira como foi composto, o projeto de Lei que estabelece o PNE tem vinculação direta entre metas e recursos. Assim, não é possível estabelecer novos objetivos, como por exemplo, o aumento do número de vagas em cursos de educação superior, sem necessariamente aumentar a destinação de recursos.Haddad defendeu, ainda, que a carreira do magistério seja encarada como uma carreira de Estado. Assim como o piso nacional estabeleceu um patamar em todo o país, os outros componentes da valorização do magistério, como o plano de carreira, também devem ter caráter nacional, segundo o ministro. Um dos maiores problemas enfrentados pelos profissionais do magistério hoje, disse Haddad, se refere à seleção de profissionais para atuar nas escolas públicas. “As provas de concurso cobram do docente mais conhecimento sobre a legislação do que sobre conteúdo prático”, relatou. Para superar o problema, foi assinada portaria que estabelece uma prova nacional para seleção de professores. O documento prevê a criação de um banco de questões que poderá ser utilizado para nortear as seleções feitas em estados e municípios.
FONTE: http://www.mec.gov.br/