APLB

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Após pressão da APLB-Sindicato, governo estadual altera datas da Jornada Pedagógica 2014‏

Veja a publicação da SEC:

Jornada 2014
Jornada Pedagógica
A Se­cre­taria da Edu­cação do Es­tado da Bahia re­a­liza a Jor­nada Pe­da­gó­gica 2014 em todas as uni­dades es­co­lares da rede, nos turnos diurno e no­turno, sob o tema O Pla­ne­ja­mento Co­le­tivo da Es­cola para o For­ta­le­ci­mento das Apren­di­za­gens.A Jor­nada reúne edu­ca­dores, na sua res­pec­tiva uni­dade, cons­ti­tuindo um es­paço co­le­tivo de or­ga­ni­zação do tra­balho pe­da­gó­gico. O ob­je­tivo é con­so­lidar o pla­ne­ja­mento para o ano le­tivo de 2014, a partir da re­flexão sobre o de­sem­penho da es­cola e do es­ta­be­le­ci­mento de ações, metas e es­tra­té­gias para me­lhoria dos pro­cessos de en­sino e de apren­di­zagem dos nossos es­tu­dantes. Neste ano, em es­pe­cial, a Jor­nada Pe­da­gó­gica pauta o pla­ne­ja­mento co­le­tivo da es­cola em vistas à cons­trução de um cur­rí­culo ar­ti­cu­lado que po­ten­ci­a­lize as apren­di­za­gens, de modo a im­pactar nos re­sul­tados das ava­li­a­ções edu­ca­ci­o­nais in­ternas e ex­ternas
.Para tanto, res­sal­tamos a im­por­tância de cada uni­dade es­colar co­nhecer, dis­cutir e apro­priar-se dos dados da sua re­a­li­dade, como ponto de par­tida para o pla­ne­ja­mento, con­si­de­rando: dis­torção idade/série, apro­vação, re­pro­vação, aban­dono e os re­sul­tados das ava­li­a­ções ex­ternas – Prova Brasil, Avalie, ENEM e IDEB. Esse olhar co­le­tivo sub­si­diará um tra­balho pe­da­gó­gico con­sis­tente, para o en­fren­ta­mento dos in­di­ca­dores crí­ticos, o aper­fei­ço­a­mento das ações exi­tosas e me­lhoria do pro­cesso for­ma­tivo dos nossos es­tu­dantes.
Plantão On­line e Te­lefô­nico!
Fórum ele­trô­nicohttp://​educar.​sec.​ba.​gov.​br/​forumjornada/​ Te­le­fones: (71) 3115-9010 / 9006 / 9075
Tu­to­rial – Fórum Jor­nada
Dias30 e 31/01/2014, po­dendo ser es­ten­dida para com­ple­men­tação nos dias 06 e 07/03/2014 (grifo nosso).
Ho­rá­rios: Ma­tu­tino – 10 às 12h; Ves­per­tino – 15 às 17h; No­turno – 19 às 21h

Trabalhadores em educação de Ilhéus voltam a cobrar acordo da campanha salarial 2014

Fotos: Cristiano Cruz
Com a proposta de esclarecer a comunidade sobre a falta de diálogo do governo municipal os servidores, que se recusa a discutir a campanha salarial 2014, além de alertar os ilheenses para a necessidade de todos estarem juntos na luta em defesa de uma educação pública de qualidade, os trabalhadores em educação da rede municipal de Ilhéus realizaram na tarde desta terça-feira (18) uma panfletagem no terminal urbano do centro da cidade.

No documento distribuído para a comunidade, os trabalhadores denunciaram a grave situação do ensino público em Ilhéus e o desrespeito do governo municipal com as leis e com os direitos dos servidores. Os servidores estão cobrando a assinatura do acordo de campanha salarial 2014, já que a data base da categoria é 1º de janeiro, mas até o momento o governo municipal não discutiu a pauta com os trabalhadores em educação.

De acordo com a presidente da APPI/APLB-Sindicato, Enilda Mendonça, no ano de 2013 o prefeito Jabes Ribeiro não assinou o acordo da campanha salarial dos trabalhadores em educação e se recusou a cumprir a lei que garante a reposição salarial dos trabalhadores e o piso nacional dos professores. Por conta disso, os trabalhadores realizaram uma greve geral que durou mais de 80 dias e culminou com um processo na justiça para garantir que a lei e os direitos fossem respeitados, processo esse que até o momento ainda não foi julgado.

“A história se repete e mais uma vez o governo municipal se recusa a discutir o acordo da campanha salarial de 2014”, reafirma Enilda Mendonça, explicando que a pauta da campanha, aprovada por unanimidade em assembléia da categoria, foi protocolada em dezembro do ano passado e até o momento o governo municipal não abriu as discussões com os trabalhadores. “A data base da categoria é em 1º de janeiro, por esse motivo não podemos aceitar que o governo municipal tente arrastar as decisões e aplique mais uma vez o calote nos trabalhadores”, complementou.